ASSINE

Jovem capixaba morre após ser atacado por tubarão em praia dos EUA

Arthur Medici, 26 anos, que é de Vila Velha, chegou a ser socorrido para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos

Publicado em 16/09/2018 às 09h51
Arthur Medici chegou a ser socorrido para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Crédito: Montagem | Gazeta Online
Arthur Medici chegou a ser socorrido para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Crédito: Montagem | Gazeta Online

Um jovem capixaba de 26 anos, que estava morando em Massachusetts, nos Estados Unidos, morreu neste sábado (15) após ser atacado por um tubarão na baía de Cape Cod, extremo leste do estado, um um dos pontos turísticos mais visitados dos EUA durante os meses de verão. O ataque aconteceu por volta do meio-dia na área do Parque Nacional de Newcomb Hollow Beaching. Arthur Medici chegou a ser socorrido para o Hospital Cape Cod, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo o site Sunday Express, testemunhas afirmaram ter visto Arthur na praia, acompanhado de outro homem, que seria o cunhado dele, quando o ataque aconteceu. A informação foi confirmada pelo Gazeta Online junto a uma amiga da família, Patrícia Kelli Silva, que está amparando a mãe de Arthur nesse momento difícil.

Segundo Patrícia, Arthur é de Vila Velha, morava sozinho nos EUA, e estava noivo. Uma prima dele, que também mora nos Estados Unidos, está resolvendo as questões burocráticas para liberação do corpo.

ÉPOCA COM MAIS TUBARÕES

De acordo com o site Sunday Express, houve um aumento nos avistamentos de tubarões na área, já que é um local onde as focas cinzentas também circulam nesta época do ano. Um especialista em tubarões ouvido pela publicação afirmou que os ataques de tubarão no verão são uma conseqüência direta de mais pessoas e mais animais na água.

VÍDEO MOSTRA SOCORRO

ÚLTIMO ATAQUE EM 1936

No entanto, o último ataque de tubarão na região foi em 1936, quando um jovem de 16 anos foi mordido. Por causa do risco de ataques, o Serviço Nacional de Parques dos EUA fechou as praias por pelo menos uma hora cerca de 25 vezes este ano, o dobro da média anual.

No local do ataque há uma placa recomentando os banhistas a nadarem próximo da costa costa e com água na altura da cintura.

 

Placa alertando para o risco de ataque de tubarões no local. Crédito: WBZ-TV)
Placa alertando para o risco de ataque de tubarões no local. Crédito: WBZ-TV)

A Gazeta integra o

Saiba mais
estados unidos vila velha estados unidos tubarão

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.