ASSINE

Excesso de velocidade dos veículos preocupa moradores de Itacibá

O temor em relação à velocidade e ao trânsito de veículos pesados já foi manifestado em protesto na região da Rodovia José Sette, onde foi implementado sistema binário

Publicado em 18/06/2019 às 12h08

Duas semanas após uma grande mudança no trânsito na região do bairro Itacibá, que deixou a rodovia José Sette com o trânsito em sentido único em direção a Cariacica Sede, moradores da região ainda reclamam de algumas consequências da mudança. As principais queixas são feitas por moradores e comerciantes das ruas São Jorge e São João, que começaram a receber todo o fluxo de carros que trafegam no sentido oposto da José Sette, em direção à Praça de Itacibá. Enquanto alguns moradores reclamam de veículos que passam pelas ruas em alta velocidade, outros se queixam que alguns caminhões pesados e carretas estão passando pelas ruas estreitas do bairro.

O temor em relação à velocidade dos veículos e também ao trânsito de veículos pesados já foi manifestado por moradores de Itacibá no último dia 4 de junho, em um protesto realizado no dia em que a mudança no trânsito foi implementada.

O comerciante Paulo Inácio da Silva tem uma loja na rua São Jorge e relata que carretas estão passando no local. Ele pede mais fiscalização e sinalização para combater o problema. "Eu acho que está faltando um pouco mais de sinalização, desviar um o trânsito pesado das carretas, porque tem passado algumas por aqui. Precisamos de melhorias na sinalização e lombada em uma distância ideal", disse Paulo Inácio da Silva.

O comerciante Paulo Inácio da Silva tem uma loja na rua São Jorge e diz ainda vê carretas passando no local e pede mais fiscalização para combater o problema. Crédito: Eduardo Dias
O comerciante Paulo Inácio da Silva tem uma loja na rua São Jorge e diz ainda vê carretas passando no local e pede mais fiscalização para combater o problema. Crédito: Eduardo Dias

Ricardo Vieira também tem um comércio na região e diz que muitos carros têm passado em alta velocidade pelas ruas São Jorge e São João. Ele também pede para que lombadas sejam instaladas na via, para que os carros passem mais devagar pelo local.

"Piorou o negócio, tudo o que vem de Cariacica (veículo) está passando aqui. A situação está muito perigosa. Se for colocar quebra-molas, tem que colocar uns quatro, porque estão passando em alta velocidade. Qualquer hora vai acontecer um desastre aqui", reclamou o comerciante Ricardo Vieira.

SINALIZAÇÃO PARA VELOCIDADE MÁXIMA

Após a reclamação dos moradores, o Departamento de Estradas de Rodagem do Espírito Santo (DER) informou que as ruas São Jorge e São João estariam com a sinalização reforçada, com placas que determinam limite de velocidade na via. No entanto, a reportagem da Rádio CBN Vitória passou pelo local na manhã desta terça-feira (18) e não encontrou placas indicando a velocidade máxima nos trechos que receberam críticas dos comerciantes.

Rua São Jorge, em Itacibá, não tem placas indicando o limite de velocidade na via. Crédito: Eduardo Dias
Rua São Jorge, em Itacibá, não tem placas indicando o limite de velocidade na via. Crédito: Eduardo Dias

FISCALIZAÇÃO DE VEÍCULOS PESADOS

Em relação à circulação de veículos pesados trafegando pela região, o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar informou que realiza fiscalizações na Rodovia José Sette, com o objetivo de identificar o tráfego de veículos irregulares e qualquer tipo de infração rodoviária.

O Batalhão de Trânsito afirmou que atua com blitze e patrulhamento no local, que conta com proibição de circulação de veículo que pesem acima de 16 toneladas. O Batalhão pede ao cidadão que constatar qualquer tipo de tráfego irregular e ocorrência que configure crime de trânsito, que ligue para o 190.

A Gazeta integra o

Saiba mais
cariacica cbn cotidiano cbn vitoria jose sette reportagens trânsito

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.