ASSINE

Estudantes do Ifes protestam contra corte de verbas em Vitória

Grupo chegou ao Palácio Anchieta por volta das 20h40

Publicado em 03/05/2019 às 18h32
Estudantes do Ifes em protesto. Crédito:                    carlos alberto silva
Estudantes do Ifes em protesto. Crédito: carlos alberto silva

Cerca de 500 estudantes do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES) protestaram contra o corte de verbas públicas feito pelo Ministério da Educação (MEC) na última terça-feira (30). Manifestantes estavam concentrados na praça de Jucutuquara, na Capital, e seguiram em caminhada pela Avenida Vitória, por volta das 19h, rumo ao Palácio Anchieta.

Por volta das 20h40, o grupo chegou ao destino e começou a ocupar a escadaria do Palácio. Segundo a Guarda Municipal, não há mais vias obstruídas na Capital. O protesto acabou por volta das 21h20.

ENTENDA

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, emitiu um comunicado nesta terça-feira (30) anunciando o corte de 30% das verbas públicas de três universidades federais do Brasil – UFF, UNB e UFBA - que não apresentavam o desempenho acadêmico esperado. Na justificativa, Weintraub disse ainda que as instituições permitem eventos políticos, manifestações partidárias e festas inadequadas ao ambiente universitário.

No mesmo dia, o MEC revogou a decisão e disse que o corte se estende também para todos as universidades e institutos federais do país.

O Ifes anunciou nesta sexta-feira (03) que, caso seja confirmado contingenciamento de 38% da verba para custeio - aproximadamente R$ 24 milhões -, a instituição só conseguirá se manter até setembro. A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) também emitiu um comunicado afirmando que o corte impactará no funcionamento. Esse dinheiro seria destinado para a limpeza, manutenção e segurança do local. Entretanto, poderá afetar ainda o ensino.

O instituto, juntamento com a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) tentarão negociar uma mudança de posição com o MEC em uma reunião que acontecerá na próxima semana, em Brasília. Caso não haja avanços, eles prometem recorrer ao ministério da Economia.

 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.