> >
A receita de quem chegou aos 104 anos

A receita de quem chegou aos 104 anos

Dona Jandyra viu um século passar, mas, se depender dela, ainda há muito por viver

Publicado em 24 de agosto de 2018 às 23:57

Ícone - Tempo de Leitura 0min de leitura
Jandyra Faria dos Santos vai ganhar festa da família. (Fernando Madeira)

Você já pensou em viver 104 anos? Testemunhar duas guerras mundiais, a troca de nove papas no comando da Igreja Católica, a Ditadura Militar no Brasil e todos os títulos do Brasil na Copa do Mundo. Essa é a dona Jandyra Faria dos Santos, que completou mais um ano de vida na quinta-feira (23). A festa será comemorada neste sábado (25).

Dona Jandyra nasceu no distrito de Pendanga, em Ibiraçu, mas aos seis anos foi com seus pais para Vitória. Aos 18 anos se formou no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora e voltou para o distrito onde nasceu para lecionar como professora.

Aos 28 anos, voltou para a Capital para trabalhar como escriturária, meses depois se tornou agente administrativa e, em seguida, chefe da Concessão de Benefício, cargo que ficou por 25 anos no Instituto Nacional de Previdência Social (INPS), atual Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Ela se aposentou aos 55 anos.

Aos 36 anos, ela se casou e teve uma filha, que atualmente está com 60 anos. Ela tem um neto de 32 anos e um bisneto de um ano, além de cinco irmãos vivos e muitos sobrinhos que bajulam ela todo o tempo. O marido faleceu quando ela tinha 54 anos.

“A alegria que eu tenho de viver agradeço a minha família, sou amada. Meu neto diz que eu sou a mãe dele, na formatura em Ciências Contábeis ele dedicou o diploma a mim. Chorei tanto”, lembrou.

Além da família, outras duas paixões são fortes em sua vida: política e futebol. Fã do Botafogo, não perde um jogo da estrela solitária quando vem ao Espírito Santo. Inclusive, sempre janta com os jogadores e tem muitas histórias para contar. A que guarda na memória foi a que viveu com o jogador André Lima, que dedicou um gol a ela.

Durante todos esses anos já passou por diversas situações, mas para ela o que mais chama a atenção é a pobreza no Brasil, que tem crescido. Já passei pela época das guerras, venci todas. Atualmente, o que me choca é a pobreza,  a miséria, eu vejo o noticiário e começo a chorar", relata.  

 

Expectativa

Atualmente, a dona Jandyra mora em Colina de Laranjeiras, na Serra. Totalmente lúcida, ela gosta de jogar palavras cruzadas, frequentar a igreja católica, passear com as sobrinhas e filha e assistir a todos os jogos do Botafogo.

Sua meta é viver até os 120 anos. Se depender de seu empenho e do amor da família, isso não será problema. Mas para viver tanto tempo ela conta que existem alguns segredos e decidiu revelá-los para que todos possam fazer o mesmo.

Este vídeo pode te interessar

“É necessário não beber, não fumar, não ser farrista, exercer a caridade, conservar as amizades e viver a vida feliz. Dançar forró ajuda e ser botafoguense é essencial”, finaliza. Vida longa, Dona Jandyra!

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rapido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta

A Gazeta integra o

The Trust Project
Saiba mais