ASSINE

Aracruz, Itarana e Itaguaçu agora pertencem à região da Sudene no ES

Após Congresso derrubar veto, presidente Jair Bolsonaro promulgou inclusão de municípios capixabas e mineiros na área que garante benefícios fiscais e linhas de crédito especiais aos negócios

Publicado em 07/10/2021 às 15h41
Vista aérea de Portocel, porto da Suzano (51%) e da Cenibra (49%), localizado em Aracruz
Vista aérea de Portocel e de outros terminais portuários em Barra do Riacho, em Aracruz. Crédito: Portocel/Divulgação

As cidades de Aracruz, Itarana e Itaguaçu agora fazem parte da área da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

O presidente Jair Bolsonaro promulgou, nesta quarta-feira (6), a inclusão dessas cidades, além de 81 municípios mineiros, na região que oferece benefícios fiscais e linhas de crédito mais vantajosas aos negócios que se instalarem nas localidades atendidas.

O Congresso derrubou o veto do presidencial na semana passada, por isso a nova lei teve que ser promulgada e não sancionada para cumprir a determinação do Legislativo. Para vetar, o governo federal afirmou, em comunicação oficial ao Senado, que o projeto apresentava vícios de inconstitucionalidade e contrariedade ao interesse público.

O QUE É A SUDENE?

Por meio da Sudene, o governo federal concede benefícios fiscais para empresas que se instalam nessas cidades, contribuindo para a atração de investimentos. Há, por exemplo, isenção ou redução de até 75% no Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ), além de descontos no PIS/Pasep e Cofins para aquisição de novas máquinas.

Por isso, a inclusão de uma cidade dentro da área da Superintendência favorece a atração de empresas e investimentos, promovendo também a geração de empregos de mais qualidade e que pagam melhores salários nessas regiões, que são menos desenvolvidas.

Hoje, 28 municípios capixabas já estão inclusos nesta área. A expansão da abrangência do programa era um antigo pleito de setores produtivos capixabas para estimular a dinamização da economia da Região Norte do Estado.

ARACRUZ TERÁ POTENCIAL PARA DESPONTAR COMO NOVO POLO LOGÍSTICO

A expectativa é de que a medida permita um novo salto de desenvolvimento regional no Espírito Santo nos próximos anos. No caso de Aracruz, em especial, que já tem uma série de investimentos previstos, a inclusão na área da Sudene deve possibilitar que o município se torne um novo polo de atração de negócios no Estado.

A cidade já contra com investimentos robustos previstos para os próximos anos, como a modernização da planta de celulose da Suzano, a ampliação de Portocel e as obras do Porto da Imetame. Outro diferencial de Aracruz será a privatização da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) e a concessão do Porto de Vitória, já que a empresa que levar o leilão terá direito de explorar o Terminal de Barra do Riacho, espaço visto como promissor no setor logístico.

Mesmo antes de sua inclusão na área da Sudene, Aracruz, por exemplo, já contava com a perspectiva de receber a maior parte dos R$ 9,3 bilhões em investimentos previstos para a microrregião do Rio Doce capixaba até 2023, segundo estudo do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN).

Lar de grandes empresas, como o Estaleiro Jurong, entre outros negócios, o município pode receber projetos com cifra ainda maior casos os benefícios fiscais se concretizem.

O mesmo pode ocorrer com a microrregião Central Serrana, onde estão inseridos os municípios de Itaguaçu e Itarana.

Com informações de Caroline Freitas.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.