ASSINE

Varíola dos macacos é descartada em criança de 7 anos de Cachoeiro

Menino recebeu atendimento médico após ter bolhas pelo corpo na última semana. Exame foi coletado e enviado a laboratório no Rio de Janeiro na segunda-feira (1°)

Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 04/08/2022 às 13h40
Varíola dos macacos: ES investiga caso
Varíola dos macacos foi descatado em garoto de 7 anos em Cachoeiro de Itapemirim. Crédito: Freepik

A Secretaria de Saúde de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, divulgou nesta quinta-feira (4) que o resultado do exame para o primeiro caso suspeito de varíola dos macacos (monkeypox), em um menino de 7 anos, deu negativo. A criança estava em isolamento em casa, com a mãe, após buscar atendimento médico com bolhas pelo corpo na semana passada.

O caso suspeito foi notificado às autoridades de saúde e, nesta segunda-feira (1º), material coletado da criança foi encaminhado para o Laboratório Central do Rio de Janeiro. A Prefeitura de Cachoeiro destacou que o vírus monkeypox foi descartado no menino, mas não informou qual diagnóstico da doença provocou as lesões no corpo dele.

SOBRE O CASO

A mãe da criança disse na última semana que o filho começou a apresentar algumas bolhas no corpo e reclamar de muita coceira. Posteriormente a quantidade de lesões foi aumentando. No terceiro dia, as bolhas foram crescendo, inflamando e viraram feridas.

Ela buscou atendimento médico no Hospital Infantil São Francisco de Assis (Hifa) e a criança recebeu o diagnóstico sugestivo para a varíola dos macacos. A família recebeu orientações da unidade para que o menino ficasse isolado em casa.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.