ASSINE

Secretário da Saúde do ES: "Não há colapso na rede hospitalar privada"

Mensagem que circula nas redes especula que hospitais da rede privada enfrentam um colapso com uma nova leva de pacientes diagnosticados com a Covid-19. Secretário Nésio Fernandes desmente e explica motivo para o aumento do número de pacientes

Publicado em 30/10/2020 às 17h47
Atualizado em 30/10/2020 às 21h33
Secretário de Estado da Saúde do Espírito Santo, Nésio Fernandes
Secretário de Estado da Saúde do Espírito Santo, Nésio Fernandes . Crédito: Sesa/ Divulgação

Há alguns dias, mensagens vêm circulando pelas redes sociais e aplicativos de mensagens especulando que alguns hospitais privados do Espírito Santo enfrentam um colapso com uma nova leva de pacientes diagnosticados com o novo coronavírus. Durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta sexta-feira (30), o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, desmentiu a informação.

De acordo com Nésio, o aumento da ocupação de leitos com pacientes respiratórios é um fato conhecido pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). O secretário explica que durante os meses de abril, maio, junho e julho, houve grande redução do número de traumas no Estado e que, com a retomada de atividades econômicas e sociais, começou também a retomada de atendimento de pacientes com outras condições.

Nésio Fernandes

Secretário de Estado da Saúde do Espírito Santo

"A oscilação pressiona o sistema de saúde público e privado. Não há um colapso da rede privada"

"Alguns planos de saúde possuem convênio e possibilidade de compra de leitos. No auge da pandemia, utilizou da estratégia a compra de leitos da rede privada que, no auge, chegou a ter 16% de leitos de UTI ofertados. Nós, como governo, desde a última semana de janeiro deste ano, iniciamos os preparativos para atender pacientes com a Covid", disse.

Este vídeo pode te interessar

Ainda para este ano, Nésio afirma que está prevista a inauguração de mais 160 leitos no Espírito Santo. Também está previsto que, nos próximos dias, o Estado reverta pelo menos 30 leitos de UTI do Hospital Doutor Jayme dos Santos Neves, na Serra, para atender pacientes com traumas e os vasculares.

SEGUNDA ONDA

Questionado sobre a hipótese do enfrentamento a uma segunda onda de contaminação, Nésio garante que, independente do cenário futuro, o governo do Estado estuda estratégias para não colapsar o sistema.

Nésio Fernandes

Secretário de Estado da Saúde do Espírito Santo

"Estamos desenhando estratégias e estudando reverter leitos caso ocorra uma segunda onda. Também podemos retomar estratégias de distanciamento social e voltar, de maneira mais robusta, leitos da própria rede"

"Os leitos de UTI e enfermaria salvam algumas vidas. Não é garantia de derrotar a pandemia. Leitos de UTI, a ampliação e garantia do acesso, são formas de resistência contra a doença. Estamos resistindo à pressão que ela faz na vida das pessoas", finalizou.

CONFIRA O VÍDEO DA COLETIVA

A Gazeta integra o

Saiba mais
Espírito Santo Saúde Hospitais SESA Coronavírus no ES Covid-19 espírito santo nesio fernandes Hospital Dr Jayme Santos Neves Pandemia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.