ASSINE

Saiba como será a volta às aulas presenciais em Vitória

Após o embate que marcou a semana entre Pazolini e Casagrande, a Prefeitura de Vitória divulgou algumas medidas específicas para o retorno às aulas na Capital. Confira

O papel da escola está para além do pedagógico
Volta às aulas presenciais em Vitória seguirá determinações estaduais. Crédito: Freepik

O governador do Estado, Renato Casagrande, autorizou a volta às salas de aula para alunos da educação infantil e do primeiro ciclo do ensino fundamental (1º ao 5º ano) no Espírito Santo — mesmo situadas em municípios de risco alto para a transmissão da Covid-19 — a partir da próxima segunda-feira (10). Todas as diretrizes para esse retorno foram divulgadas junto com o Mapa de Risco da semana, durante o pronunciamento do governador nesta sexta-feira (07). A Prefeitura de Vitória, entretanto, divulgou pouco depois algumas medidas específicas para o retorno às aulas na Capital — acirrando a disputa política entre Pazolini e Casagrande, que marcou a semana.

A Secretaria de Educação de Vitória informou que as crianças de 0 a 3 anos de idade ainda não retornarão de forma presencial, apesar da permissão do governo do Estado. Os estudantes dos grupos 5 e 6 da Educação Infantil não farão revezamento, mas serão divididas em mais turmas, por questões de adaptação à escola. Dessa forma, as salas de aula dos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmei) serão ocupadas apenas pelas crianças dos grupos 5 e 6.

Já o retorno dos alunos do 1º ao 5º ano  do ensino fundamental será de forma gradual e com revezamento, com os protocolos de biossegurança já estabelecidos. Eles serão divididos em dois grupos (azul e laranja). As salas de aula manterão o distanciamento de 1,5 metro entre os estudantes e o professor.

Os alunos do 6⁰ ao 9⁰ ainda não retornam à modalidade presencial, seguindo a determinação do Governo do Estado.

O retorno presencial não será obrigatório, cabendo às famílias decidirem enviar ou não o estudante à escola. 

OCUPAÇÃO DAS SALAS DE AULA

O governador do Estado anunciou que a retomada das aulas presenciais deverá ser feita com 50% de ocupação das salas de aula, assim como já ocorre nas cidades em risco moderado e baixo. 

Questionada sobre quantos alunos haverá em cada sala, a Prefeitura de Vitória afirmou que isso vai depender da adesão das famílias ao retorno presencial. Esse número vai variar também de acordo com o tamanho das salas — que não são padronizadas — mas reforçou que as escolas passaram por pequenas reformas e foram adaptadas para o retorno dos estudantes, com demarcação do espaço físico, respeitando 1,5 metro de distanciamento entre eles e entre o professor.

As escolas também receberam instalação de pias e lavatórios em mais pontos; instalação de totens e dispensers para álcool 70%; instalação de mais ventiladores, onde foi verificada essa necessidade; troca de torneiras em bebedouros e troca de lixeiras de tampa por lixeiras de pedal.

Veja como fica a volta às aulas para as escolas municipais de Vitória:

  • 10 de maio: estudantes do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental (grupo azul);
  • 17 de maio: estudantes do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental (grupo laranja);
  • 17 de maio: crianças dos grupos 5 e 6 da Educação Infantil. Nos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmei), não haverá revezamento entre as crianças.

DIÁLOGOS COM ESPECIALISTAS

De acordo com o prefeito Lorenzo Pazolini, estudos mundiais e diálogos com especialistas reforçam que a a escola é um ambiente essencial e seguro.

"Ficou constatado que a escola é um ambiente essencial e seguro. A sociedade tem que se mobilizar para que tenhamos uma educação funcionando, seguindo todos os protocolos de biossegurança e respeitando a ciência. Não podemos deixar que nosso país regrida duas décadas no acesso à escola, como já dizem os especialistas. Nossas crianças estão tendo inúmeros prejuízos à saúde, como sedentarismo, problemas graves de comportamento, sintomas psicossomáticos como dores, diarreia, falta de sono, para citar alguns", justificou Pazolini.

EM RESUMO

  • O retorno presencial às aulas nas escolas municipais da Capital será feito para estudantes do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, com revezamento; 
  • Para crianças do dos grupos 5 e 6 da Educação Infantil, sem revezamento;
  • Crianças de 0 a 3 anos ainda não voltarão às atividades presenciais; 

MAPA DE RISCO DO ES

A decisão pela reabertura das escolas nos municípios de risco alto se baseou na melhoria dos indicadores da pandemia no Estado, segundo Casagrande, mas a retomada será gradativa para que o Espírito Santo se mantenha em queda no número de casos, internações e mortes provocadas pela Covid-19.

No mapa que terá vigência de segunda-feira (10) a domingo (16), 26 cidades estarão em risco alto, incluindo as da Grande Vitória.

Governo do Espírito Santo divulga 54º mapa de risco. Classificação dos municípios vale entre os dias 10 e 16 de maio de 2021
Governo do Espírito Santo divulga 54º mapa de risco . Crédito: Divulgação | Governo do Espírito Santo

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.