ASSINE

Empresas encontram apoio do Sicoob Credirochas para enfrentar crises

Após a enchente sofrida em janeiro de 2020, instituição liberou mais de R$ 795 mil de crédito com isenção de juros

Vitória
Publicado em 07/06/2021 às 14h16
Tales Machado presidente do Sicoob Credirochas
Tales Machado presidente do Sicoob Credirochas. Crédito: Divulgação

Na maior cidade da Região Sul do Estado, Cachoeiro de Itapemirim, empresas buscam se reerguer após dois abalos inesperados sobre a economia local, a histórica enchente de janeiro de 2020 e a pandemia da Covid-19, que ainda assola o país. Diante de um cenário de incertezas, muitos encontraram na força do cooperativismo, o apoio para vencer a crise.

A empresária Fabíola Maria Bonadiman Machado é proprietária de duas lojas em um shopping no centro da cidade. Em uma das lojas, do segmento infantil, a Pirulito, teve todo o estoque perdido com a força da enchente do dia 25 de janeiro de 2020.

Fabíola Machado também encontrou forças para se reerguer no Sicoob Credirochas
Fabíola Machado também encontrou forças para se reerguer no Sicoob Credirochas. Crédito: Divulgação

A data, que ficará marcada na história de Cachoeiro de Itapemirim. As águas do rio Itapemirim alcançaram mais de 12 metros acima do nível normal, provocando destruição em residências, estabelecimentos comerciais, edificações históricas e até prédios públicos.

Diante do cenário desolador, ela lembra que precisou se reinventar, começar do zero e, para isso, encontrou apoio necessário no Sicoob Credirochas. “Com um capital de giro pequeno, tive que pedir um empréstimo e o Sicoob Credirochas me ofereceu uma linha de crédito. Em tudo que preciso eles me ajudam. Para mim, o atendimento é maravilhoso e isso, faz a diferença. Esse acolhimento, um diálogo próximo é o que conta. Tenho hoje consórcio, investimentos e seguros com a instituição”, contou orgulhosa a empresária.

Sonho realizado

Quem também apostou e sentiu a segurança de contar sempre com a cooperativa de crédito foi a empresária Marilza Viguini Sgulmero, dona da loja Vigui Íntima, fundada há 21 anos. Cooperada há mais de uma década, revela que a parceria para o desenvolvimento de seu comércio vem desde antes da enchente e até da pandemia.

Marilza  Sgulmero encontrou apoio no Sicoob Credirochas
Marilza Viguini Sgulmero encontrou apoio no Sicoob Credirochas. Crédito: Divulgação

“Já havia feito dois empréstimos, mesmo assim, após a enchente, recebi muita força e me ergueram a mão na reforma da minha loja, que já era um sonho antigo. Por conta das mercadorias, fornecedores, não poderia fechar e a cooperativa me ajudou”, lembra Marilza Viguini.

Para ela, ter proximidade e diálogo direto com o atendimento. “Quase não vou na agência. Ligo para o gerente e na hora ele resolve tudo. Nesta pandemia, eu e funcionários acabamos contraindo a Covid, e estavam prontos a nos ajudar. Tenho muito a agradecer a força do Sicoob”, concluiu a cooperada.

União para crescer

O presidente do Sicoob Credirochas, Tales Pena Machado, se orgulha em dizer que dar suporte e ofertar crédito para a retomada do crescimento econômico local é uma das atribuições da instituição.

“Entendemos que a função da instituição é fazer a intermediação financeira com foco em dar suporte e estimular a economia na comunidade que atendemos que é importantíssimo para nós. Dessa forma, tentamos personalizar as operações para dar maior suporte possível para nossos cooperados nos momentos de crise, seja de saúde pública ou econômica, para que consigam passar esse período de dificuldade e manter seus negócios”, afirmou o presidente.

Segundo Machado, linhas de crédito, após a enchente e também na durante a pandemia, foram ofertadas aos associados. Além disso, o Sicoob Credirochas realizou a prorrogação e a reestruturação das operações de crédito dos segmentos afetados pela pandemia COVID-19, atendendo de acordo com a demanda do associado, analisando caso a caso, flexibilizando para que cada cooperado viabilizasse o pagamento de seus vencimentos.

Foram abertas linhas de crédito para atender este público com condições diferenciadas. Segundo a agência, foram liberados mais de quatro mil contratos em um montante de mais de R$ 230 milhões de crédito para auxílio aos cooperados.

A cooperativa atuou ainda na linha de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para pequenas e médias empresas com folha de pagamento vinculada a cooperativa. A linha atribuiu prazo de 30 meses, seis meses de carência, valor de dois salários-mínimos por empregados e taxa de 3,75% ao ano, sem cobrança de taxas extras e sem exigências de garantias especiais.

Após a enchente sofrida em janeiro de 2020, a instituição liberou mais de R$ 795 mil de crédito com isenção de juros.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.