ASSINE
Árbitro capixaba com maior número de atuações nacionais e internacionais, especializado em gestão esportiva,e que atuou em dez finais do Campeonato Capixaba, além de partidas das séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro.

Rodada de erros de arbitragem inexplicáveis no futebol brasileiro

Pênalti inexistente marcado a favor do Internacional diante do Flamengo e expulsões que não aconteceram no jogo entre Vasco e Cruzeiro marcaram a rodada

Publicado em 13/06/2022 às 12h21
O árbitro Anderson Daronco deixou de expulsar dois jogadores no duelo entre Vasco e Cruzeiro
O árbitro Anderson Daronco deixou de expulsar dois jogadores no duelo entre Vasco e Cruzeiro. Crédito: Thiago Ribeiro/AGIF

Um pênalti mal marcado pelo árbitro Fifa Bráulio Machado (SC) selou a vitória do Internacional por 3 a 1 sobre o Flamengo no último sábado (11). A falta no atacante Pedro Henrique aconteceu fora da área - ele caiu dentro dela depois de tropeçar sozinho. Sem explicação, o VAR não revisou o lance e a penalidade foi confirmada, o que manchou a atuação da arbitragem. A propósito, o árbitro Bráulio Machado é o que mais foi escalado no Campeonato Brasileiro até a 11° rodada.

Outra situação inexplicável aconteceu na derrota por 2 a 0 do Fluminense para o Atlético-GO, quando a arbitragem de Luiz Flávio de Oliveira marcou impedimento de um arremesso lateral. A regra 11, que trata do impedimento, diz que não há infração quando o jogador recebe a bola estando em seu próprio campo, diretamente de um tiro de canto, arremesso lateral, tiro de meta e quando este recebe a bola essa for tocada por um jogador adversário. Erro primário e inexplicável de um árbitro experiente e do quadro internacional.

Sem explicação também foi o árbitro gaúcho Anderson Daronco, que apitou Vasco e Cruzeiro, não expulsar os jogadores Mateus Barbosa, do Vasco, e Geovane, do Cruzeiro, ambos por entradas violentas e maldosas. O árbitro gaúcho afinou e aplicou apenas cartão amarelo para os dois infratores. 

FUTEBOL CAPIXABA

No clássico capixaba Rio Branco 1 x 0 Desportiva Ferroviária disputado em Colatina, o vexame ficou por conta de alguns torcedores do time grená que depredaram e destruíram parte do alambrado do estádio colatinense. A partida foi disputada no Norte do Estado justamente porque a equipe perdeu o mando no Engenheiro Araripe por atos de vandalismo de sua torcida.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Futebol Arbitragem

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.