ASSINE
Árbitro capixaba com maior número de atuações nacionais e internacionais, especializado em gestão esportiva,e que atuou em dez finais do Campeonato Capixaba, além de partidas das séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro.

"Ex-árbitros deveriam ter espaço nas comissões técnicas dos times", diz China

Ex-jogador e treinador afirma que clubes poderiam agregar esses profissionais para que eles orientem os elencos sobre as regras e, assim, ao invés de clubes sofrerem punições desnecessárias, jogadores e treinadores tirariam proveito da regra a seu favor

Publicado em 19/04/2021 às 02h00
China
China, ex-jogador e treinador de futebol. Crédito: Acervo Pessoal

Esquentou de vez o debate sobre a relação entre árbitros e treinadores de futebol, então conversamos com o ex-jogador e treinador capixaba, China, sobre o assunto. Com a experiência de quem já atuou em grandes clubes brasileiros como Grêmio e Botafogo, participando de competições internacionais, conquistando títulos por onde passou e trabalhado com grandes treinadores brasileiros, ele definiu a situação ao apontar a falta de comunicação entre os clubes e os árbitros como um grande problema nessa relação.

China afirma que os árbitros não são inimigos dos treinadores, muito pelo contrário, segundo ele, ex-árbitros experientes deveriam ocupar função nas comissões técnicas dos times para orientar sobre as regras do futebol e, assim, ao invés de sofrerem punições desnecessárias, jogadores e treinadores tirariam proveito da regra a seu favor.

O ex-jogador e treinador, que sempre foi um atleta vigoroso, mostrou-se totalmente contra jogadores que recebem cartões por reclamação à arbitragem, afirmando que, em muitos casos, a falta de conhecimento das regras interfere muito em punições e suspensões que poderiam ser facilmente evitadas. Uma aula de um craque dentro e fora de campo.

BOLA FORA

Por falar em aula, quem anda precisando ficar atenta é a árbitra paulista Edina Alves. Na rodada do meio da semana do Campeonato Paulista, no jogo entre Inter de Limeira e Bragantino, ela foi aplicar o segundo cartão amarelo e depois o vermelho ao jogador João Mateus da Inter, mas tinha esquecido o cartão vermelho no vestiário e teve que apontar com a mão para o jogador se retirar de campo, como nos jogos amadores da várzea.

O problema seria maior se o jogador se recusasse a sair de campo, alegando que não havia recebido o cartão vermelho como manda a regra 12. Desatenção inaceitável para uma árbitra internacional que pensa em conquistar espaços maiores na carreira.

ÁRBITRO VÍTIMA DA COVID-19

A coluna de hoje é dedicada ao árbitro Guilherme Benitez, que faleceu na última semana vítima da Covid-19.

Guilherme é uma referência para todos esportistas e árbitros capixabas pela sua conduta ilibada e pela competência com que tratava os eventos esportivos. Grande incentivador dos árbitros mais jovens, respeitado e querido por todos, deixa um legado digno dos grandes esportistas mundiais. Obrigado, Benitez!

CURIOSIDADE DO DIA

De acordo com regra 12, o árbitro tomará medidas contra os oficiais de equipe que ficam no banco reservas que não tenham conduta adequada, podendo adverti-los verbalmente, adverti-los com cartão amarelo ou utilizar o cartão vermelho e expulsá-los do campo de jogo e seus arredores, incluindo a área técnica.

Se não for possível identificar o autor da infração, o treinador principal que estiver na área técnica receberá a correspondente punição.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.