ASSINE
Árbitro capixaba com maior número de atuações nacionais e internacionais, especializado em gestão esportiva,e que atuou em dez finais do Campeonato Capixaba, além de partidas das séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro.

Demissão de Gaciba é pouco! Arbitragem brasileira precisa de reformulação

Ex-árbitros de todo o Brasil já iniciaram um movimento exigindo a saída de toda a Comissão Nacional de Arbitragem e não apenas do ex-presidente Gaciba

Publicado em 15/11/2021 às 02h00
Leonardo Gaciba
Leonardo Gaciba, ex-presidente da Comissão de Arbitragem. Crédito: Lucas Figueiredo/CBF

A crise na arbitragem brasileira atingiu o ápice com a ameaça de morte feita pela torcida do Bahia aos árbitros do Campeonato Brasileiro. Os torcedores, agora criminosos, colocaram uma faixa no muro da Fonte Nova com a frase: "Quando matarmos um árbitro, deixarão de nos roubar". A ameaça extrapola todos os limites de tolerância, expõe os árbitros a atos de violência e mostra a que ponto de insatisfação chegamos com a péssima gestão da arbitragem nacional. 

Toda essa crise culminou com a queda já prevista do presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Leonardo Gaciba, que se confirmou na última sexta-feira (12), após a desastrosa manobra da comissão, substituindo o árbitro do jogo entre Flamengo e Bahia às vésperas do confronto. Foi retirado o goiano André Freitas Castro, sem nenhuma justificativa, e escalado Vinícius Araújo, de São Paulo. Com a bola rolando, Vinícius errou ao marcar um pênalti a favor do Flamengo, mesmo após ser chamado pelo VAR, o que revoltou os jogadores, torcedores e dirigentes baianos.

A queda de Gaciba vem após dois anos de uma péssima gestão e que levou ao descrédito da arbitragem brasileira, que mesmo com a ajuda do VAR, não conseguiu evoluir, dentro de um modelo arcaico e corrompido por vaidades pessoais de dirigentes que se julgam os donos do apito no Brasil.

Ainda surgiram notícias de que Leonardo Gaciba sugeriu editar os áudios das conversas do VAR antes das divulgações, o que teria irritado o comando da CBF. A solução esperada é uma reformulação total no comando da arbitragem nacional. Ex-árbitros de todo o Brasil já iniciaram um movimento exigindo a saída de toda a comissão e não apenas do ex-presidente Gaciba.

Além do interino, Alício Pena Júnior, há nomes como o do paulista Sérgio Corrêa, que estão na comissão de arbitragem há mais de quinze anos e que também são responsáveis pela desastrosa situação atual. Outra exigência é da participação da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF) na elaboração de um projeto para nortear os rumos da arbitragem brasileira nos próximos anos e a indicação, por parte dela, de um dos membros da nova comissão nacional. 

ÁRBITRO ATUOU BEM EM SÃO PAULO X FLAMENGO

Com o Morumbi lotado, o Flamengo goleou o São Paulo em um jogo nervoso desde o início. Sofrendo dois gols logo no começo do jogo, o atacante Calleri, do São Paulo, deu uma entrada violenta em David Luiz e foi corretamente expulso pelo árbitro gaúcho Leandro Vuaden. Ainda no primeiro tempo, o juiz teve que controlar a situação quando Michael fez uma firula para dominar a bola, o que irritou os jogadores do São Paulo. Uma jogada legal, mas que pode soar, como soou, como provocação e o árbitro acertou em intervir. O problema é que o jogador sempre acha que essas firulas são normais quando é a seu favor, mas quando é contra ninguém aceita.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.