ASSINE
Árbitro capixaba com maior número de atuações nacionais e internacionais, especializado em gestão esportiva,e que atuou em dez finais do Campeonato Capixaba, além de partidas das séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro.

Atlético-MG e Flamengo mais uma vez no centro das polêmicas com o VAR

Juiz acertou ao assinalar pênalti, sofrido por Diego Costa, para o Galo. Já no jogo do Fla, Everton Ribeiro sofreu penalidade, mas equipe de arbitragem ignorou a infração equivocadamente

Publicado em 22/11/2021 às 02h00
Arbitragem marcou pênalti em Diego Costa
Arbitragem marcou pênalti em Diego Costa. Crédito: Premiere/Reprodução

A 34ª rodada do Campeonato Brasileiro trouxe mais contestações de arbitragem envolvendo Atlético-MG e Flamengo. Vamos aos pênaltis polêmicos da rodada: foi pênalti no atacante Diego Costa, do Galo, na vitória por 2 a 0 sobre o Juventude. Ele foi agarrado pelo zagueiro rival. Todo mundo viu, e o pênalti foi bem marcado.

Já na vitória do Flamengo sobre o Internacional por 2 a 1, um pênalti deixou de ser marcado. Everton Ribeiro foi empurrado pelo defensor do Colorado e a penalidade deveria ter sido assinalada. Errou a arbitragem.

RENATO GAÚCHO FALA DEMAIS

O técnico do Flamengo, Renato Gaúcho, alega que seu time não está disputando o título do Brasileirão com o Atlético-MG em melhores condições por culpa da arbitragem. De fato, na partida contra a Chapecoense houve um lance de impedimento contra o Flamengo que foi um erro absurdo, mas ninguém garante que seria gol na continuidade da jogada. O que Renato esqueceu de esclarecer é se as derrotas para o Fluminense (3 a 1 e 1 a 0), Juventude (1 a 0), Internacional (4 a 0), Atlético-MG (2 a 1), e os empates com Cuiabá (0 a 0) e Ceará (1 a 1), quando ele deixou de conquistar 19 pontos, também pesaram no fato do Fla se encontrar atrás do Galo na classificação.

Além disso, às vezes em que ele tomou "nós táticos" e optou por escalar um time reserva certamente não estão na conta dele. Afirmar que está distante da disputa do título por culpa da arbitragem é fácil. Difícil é reconhecer suas incompetências e tentar, nessa altura do campeonato, desviar a atenção do torcedor mais atento. 

Este vídeo pode te interessar

STJD CAMINHA NA CONTRAMÃO MAIS UMA VEZ

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) parece que se especializou em andar na contramão dos fatos. Às vésperas do Dia da Consciência Negra, o Tribunal recuou na punição aplicada ao Brusque com a perda de três pontos na tabela da Série B do Campeonato Brasileiro por ofensas raciais ao jogador Celsinho, do Londrina, por um de seus conselheiros.

Um recuo vergonhoso sem uma explicação que convença alguém, sobretudo em tempos de intolerância nos quais vivemos. O egrégio tribunal, que tem passado a mão na cabeça de jogadores indisciplinados em vários julgamentos, como no caso em que absolveu Diego Souza, do Grêmio, que tirou o cartão da mão do árbitro Ricardo Marques em um jogo contra Corinthians, perdeu mais uma chance de aplicar uma pena exemplar e mostrar que o esporte não aceita nenhum tipo de discriminação e que todos são iguais independentemente de cor e raça. Aliás, é isso que fundamenta a prática esportiva. Igualdade e respeito são valores inegociáveis no esporte e a entidade que deveria zelar por isso me parece caminhar em outra direção. Cartão vermelho para o tribunal (que deveria fazer) Justiça.

MAIS UM CASO LAMENTÁVEL DE AGRESSÃO A UM ÁRBITRO

Na onda de impunidade tivemos mais uma agressão a um juiz. Dessa vez foi árbitro Fifa Wilton Pereira Sampaio (GO) que tomou um chute no pé após expulsar o jogador Neto Berola, do Confiança, no jogo contra a Ponte Preta pela Série B do Campeonato Brasileiro. Wilton Pereira, que se prepara para ir para a Copa do Catar 2022, é mais uma vítima do desrespeito que passa a arbitragem brasileira atualmente. Se depender do Tribunal de Justiça Desportiva, o jogador Neto Berola será mais um a ser absolvido.

ÁRBITRO CAPIXABA FOI DESTAQUE NA SÉRIE C

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou os números das escalas dos árbitros na série C do Campeonato Brasileiro e, diferentemente das séries A e B, dessa vez aparece um árbitro capixaba como um dos mais escalados. Arthur Rabelo foi escalado em cinco jogos da competição e se destacou com boas atuações. A esperança é que ele seja reconhecido e tenha oportunidades na Série A no ano de 2022 com a prometida reformulação na arbitragem brasileira.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.