ASSINE
Sexóloga, escritora, terapeuta sexual, fisioterapeuta uroginecológica, especialista em saúde do idoso e da mulher, apresentadora do programa "Segundas Intenções"" da Litoral FM"

Por que Daniel do BBB20 teria brochado em momento com Marcela?

A sexóloga Virginia Pelles analisa o que pode ter acontecido com o brother debaixo do edredom, durante a madrugada

Publicado em 10/03/2020 às 16h40
Atualizado em 10/03/2020 às 17h41
O casal Marcela e Daniel após o acontecido. Crédito: Divulgação
O casal Marcela e Daniel após o acontecido. Crédito: Divulgação

Um dos participantes desta edição do Big Brother Brasil (BBB20), Daniel, de 22 anos, teria brochado nesta madrugada durante um momento com Marcela, debaixo do edredom. Pelo que percebemos foi o que aconteceu, e aí fica a dúvida:  será por quê?

Caso tenha sido mesmo uma brochada, vamos tentar analisar os fatos. Será que Marcela, por ser um mulherão, acabou gerando muita expectativa e muita ansiedade nele, principalmente para mostrar resultado? Ou será a pressão gerada pela exposição do jogo? Ou ainda porque falta química entre os dois, ou pelo menos da parte dele? Será que era isso o que ele queria nesse momento? São tantas as perguntas... Mas agora vai a minha: quem nunca amarelou na hora H? Ou pelo menos conhece alguém que já tenha passado por isso?

A verdade é que isso pode acontecer com qualquer um, em qualquer idade.  O problema é quando isso começa a se tornar frequente, e afetar a vida sexual do casal. Neste caso é necessária a busca de uma ajuda para investigar a causa, seja ela por desordem física (doenças associadas) ou emocional.

Temos que estar alerta, não só com a brochada, mas também com a dificuldade de manter o desempenho (quando o órgão não mantém a rigidez, fica “meia boca”). Ou mesmo quando a relação sexual termina muito rápido, e a ejaculação acontece antes, durante ou pouco depois da penetração, com mínima estimulação sexual.

Este vídeo pode te interessar

E sempre fica a dúvida. Como prevenir? Hábitos de vida saudáveis é o melhor caminho para tudo na vida.  E há uma boa notícia, na maioria das vezes, os problemas associados à disfunção erétil são passíveis de controle e tratamento. Fazer uma atividade física regular, dormir bem, evitar consumo de álcool, tabaco e drogas ilícitas, sempre se alimentar de forma equilibrada e saudável são ações de prevenção.

Mas tem algo que muita gente não leva em consideração e  influencia consideravelmente, que são as causas emocionais. Muitas pessoas nem acreditam, mas a educação recebida pela família e pela escola pode  influenciar - e muito! - nesse processo. Dependendo da forma como for feita, pode garantir autoconfiança e autoestima, sem cobranças, e combatendo mitos, tabus e preconceitos. Ou, ao contrário: pode gerar insegurança e ideias errôneas a respeito da sexualidade. E talvez esse seja um dos pontos cruciais de muitas brochadas na juventude.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.