ASSINE
A jornalista Renata Rasseli cobre os eventos sociais, culturais e empresariais mais importantes do Estado. Sua marca é aliar notícias a tendências de moda, luxo, turismo e estilo de vida

Forbes: Médica do ES está na lista das brasileiras no combate à Covid

A pneumologista capixaba e pesquisadora da Fiocruz,  Margareth Dalcolmo,  está entre as seis mulheres brasileiras na liderança do combate à crise da pandemia

Publicado em 17/08/2020 às 05h00
Atualizado em 17/08/2020 às 05h01
Margareth Dalcolmo, pneumologista capixaba
Margareth Dalcolmo, pneumologista capixaba. Crédito: Acervo Pessoal

Pesquisadora clínica da Fiocruz, a pneumologista capixaba Margareth Dalcolmo está na lista entre as seis mulheres brasileiras na liderança do combate à crise da pandemia, pela Forbes. 

Durante a pandemia, a Dra. Margareth, que venceu a Covid, presta assistência a pacientes; participa de pesquisa de doenças do trato respiratório e participa das discussões e protocolos de orientação sobre o coronavírus.

Enquanto pesquisadora Fiocruz, Margareth Dalcolmo tem nas mãos o desafio de analisar estudos e todo o material científico produzido sobre o novo coronavírus, a fim de propor as melhores saídas em tratamento e orientação à população. “Estou na questão assistencial nos protocolos, na análise de toda a literatura, no fornecimento de informações para imprensa médica e leiga”. Em um momento em que a definição sobre o comportamento completo da doença e tratamentos ainda não são totalmente conclusivos, o que impressiona é o grande esforço da classe científica em produzir conhecimento sobre o assunto. “São mais de 40 mil artigos produzidos, nunca houve uma avalanche de informações tão grande quanto temos agora. São estudos que vão de melhores práticas a tratamentos, fármacos, infecção, reinfecção e condutas.”

No combate à pandemia, Margareth apela para um lado pouco pensado da crise: o saneamento básico. Além da necessidade de levar informação, a médica ressalta que metade da população brasileira não tem rede de esgoto tratado e mais de 40 milhões vivem sem água tratada. Tal ponto requer atenção, uma vez que as boas práticas de higiene são primordiais para frear a disseminação da doença causada pelo novo coronavírus. “A crise pode resultar em uma mudança de olhar humanitário e justiça social. Somos a nona maior economia do mundo.”

EMPRESÁRIA DE SUCESSO

Raigna Vasconcelos, empresária
Raigna Vasconcelos está no auge dos seus 44 anos e comemora as conquistas. Entre elas, os mais de 30 anos da Farmácia Alquimia, empresa genuinamente capixaba. Crédito: Divulgação

EMPRESAS NA PANDEMIA

Alexandre Schubert é o diretor-geral da VTO Polos Empresariais
Alexandre Schubert, diretor da VTO Polos Empresariais. Crédito: Cloves Louzada

A julgar pelo número de novos negócios, previstos e em andamento em todo o país, muitas empresas nacionais e internacionais seguem com seus planos de investimentos, apesar da pandemia.

Um bom termômetro deste fenômeno está nos loteamentos empresariais da VTO. Com áreas ofertadas para implantação de empresas por todo o Brasil (Espírito Santo, Pernambuco, Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso e Minas Gerais), a loteadora concentra a construção de grandes e relevantes empreendimentos. Hoje, a VTO soma negócios da ordem de R$ 200 milhões.

“Nos surpreendeu a grande demanda por espaços e a continuidade dos projetos, sem grandes interrupções, apesar de pandemia. Esperávamos o contrário, uma retração no setor, mas o que vemos, hoje, são empresas com perfis e portes diversos seguindo, de forma geral, com seus investimentos e cronogramas. Algumas investem em novos projetos, outras estão se mudando para áreas melhores, porém, a maioria está em processo de reinvestimento e quer áreas para ampliação. Em todos eles, entretanto, há uma constante: a busca por áreas com alto potencial de desenvolvimento econômico, localização e fácil acesso”, explicou Alexandre Schubert, diretor da VTO Polos Empresariais.

Ele afirmou que, no Espírito Santo, por exemplo, nos três loteamentos da VTO, em Cariacica e Linhares e Serra, a comercialização dos espaços chega a 82% e, em todas elas, há empresas com projetos ou construções em andamento. Entre elas está a Fimag (Linhares), o Oba SuperAtacado e o Hospital de Cariacica (Cariacica) e Fortlev (Serra).

Outro bom exemplo está no loteamento VTO de Pernambuco, cuja primeira fase do empreendimento já está 76% comercializada. Por lá se destacam empresas de fabricantes de autopeças, indústria alimentícia, logística e metal mecânica. Duas delas, em operação, somam RS$ 500 milhões investidos e 350 empregos gerados.

“A demanda aumentou e adiantaremos a segunda fase do empreendimento em Pernambuco que estava prevista para o segundo semestre de 2021. Percebemos retomada de produção no segmento automotivo, aumento no setor alimentício e novos modelos de negócios no logístico. Este último deverá passar por reformulação no modelo de negócios e operações o que impactará em necessidades de novas tipologias de galpões adequados a novas formas de armazenagem e distribuição”, comentou.

Atenta à crescente demanda, a VTO deverá lançar, até o primeiro semestre de 2021, um novo loteamento empresarial em Serra.

AGROTURISMO CAPIXABA

Polenta, embutidos, queijos e outros produtos do agroturismo de Venda Nova do Imigrante
Polenta, embutidos, queijos e outros produtos do agroturismo de Venda Nova do Imigrante. Crédito: Gabriel Lordello/Divulgação

As cidades da região de Montanhas no Espírito Santo são os principais expoentes do agroturismo capixaba, onde memória coletiva e história se misturam na construção da identidade territorial. E, no próximo dia 27 de agosto, o Observatório do Patrimônio Gastronômico do Nordeste e Espírito Santo - Opanes, criado pelo Senac, irá realizar uma live que busca trazer um pouco dessa cultura para a nossa casa.

Na ocasião, instrutores do Senac-ES conversarão com Leandro Carnielli, integrante de uma das famílias mais tradicionais do Estado e pioneira no agroturismo da região. O tema da conversa será "Queijo Artesanal no Agroturismo do Espírito Santo".

Durante o bate-papo, o empresário irá mostrar como as famílias começaram a vender história e cultura por meio dos produtos e como isso moldou toda a identidade da atividade econômica nos municípios, que é reconhecida por sua excelência em todo o mundo.

Será ao vivo, na quinta-feira, 27, a partir das 10 horas, no Instagram do Senac-ES, que pode ser acessado por meio do link: https://www.instagram.com/senacespiritosanto/.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.