A jornalista Renata Rasseli cobre os eventos sociais, culturais e empresariais mais importantes do Estado. Sua marca é aliar notícias a tendências de moda, luxo, turismo e estilo de vida.

Coronavírus: "Não subestimem a pandemia", diz capixaba em Coimbra

O empresário capixaba, Fernando Guéron, que mora há 8 meses em Coimbra, Portugal, conta como está o clima na cidade

Publicado em 16/03/2020 às 14h19
Atualizado em 16/03/2020 às 14h20
Fernando Guéron, empresário, capixaba que mora em Coimbra (Portugal). Crédito: Divulgação
Fernando Guéron, empresário, capixaba que mora em Coimbra (Portugal). Crédito: Divulgação

O empresário capixaba Fernando Guéron, 46 anos,  vive há 8 meses, em Coimbra, Portugal.  Com quatro filhos em idade escolar, ele se preocupa com o aumento da pandemia do coronavírus em toda a Europa. "Estamos ao lado da Espanha. Por aqui,  todos acreditam que a coisa vai piorar muito, é apenas uma questão de tempo", conta. Para os capixabas, Guerón manda um recado:  "não subestimem a pandemia, sigam as determinações das autoridades competentes, reforcem os cuidados principalmente com as crianças e idosos."

Qual a sensação por ai?

Clima de apreensão, número de casos confirmados aqui ainda é pequeno, apenas um na cidade, mas com a situação nos outros países da Europa e principalmente em nossa vizinha Espanha, todos acreditam que a coisa vai piorar muito por aqui, é apenas uma questão de tempo.

Você tem saído de casa?

Sim, evitando ao máximo mas tenho saído basicamente para abastecer a casa com produtos alimentícios, higiene e limpeza, que com algumas exceções ainda estão disponíveis.

Como tem sido em relação ao trabalho e a atividades escolares?

Meu trabalho pode ser realizado de forma não presencial sem grandes problemas, mas tive que cancelar uma série de compromissos profissionais nos Estados Unidos, devido a impossibilidade de viajar para lá. As atividades escolares estão suspensas preventivamente até 09 de abril.

Tem clima de pânico?

Não diria pânico, o sentimento é mais de apreensão e incerteza.

Você está com medo?

Com certeza, principalmente por causa dos meus filhos.

As ruas estão vazias? E o comércio?

Claramente houve uma grande diminuição do número de pessoas nas ruas, o que me faz crer, que assim como eu, as pessoas só estão saindo quando realmente necessário. O comércio de rua funcionando com certa normalidade, shoppings e galerias parecem estar sofrendo mais com fechamento pontual de lojas, tendo em vista que a manutenção das atividades ainda é facultada aos donos dos estabelecimentos, ainda não houve uma determinação oficial para suspensão de atividades.

Algum evento cancelado?

Todos eventos que possam gerar aglomerações estão suspensos por prazo indeterminado, casas noturnas fechadas e a venda de bebidas alcoólicas em vias públicas proibida.

O que teria a dizer pra quem está aqui ?

Que não subestimem a pandemia, sigam as determinações das autoridades competentes, reforcem os cuidados principalmente com as crianças e idosos.

A Gazeta Coronavírus Coronavírus no ES

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.