ASSINE
A Influencer Rayane Souza é uma das vozes no movimento Plus Size Capixaba. Já representou o Estado em diversos concursos de beleza plus size levando a bandeira do empoderamento e da auto estima da mulher plus

Funcionária será indenizada em R$ 50 mil por ser vítima de gordofobia

Empresa mineira foi condenada a indenizar sua ex-funcionária por assédio moral decorrente de gordofobia

Publicado em 23/12/2020 às 05h00
Atualizado em 23/12/2020 às 05h02
balança
Na petição consta que no ato do pagamento do salário, o empregador, que possuía uma balança em seu escritório, dizia que o pagamento só seria realizado se a funcionária comprovasse seu emagrecimento. Crédito: Freepik

Dia de vitória! Foi com esse veredito que o Juiz da Vara de trabalho de Muriaé, em Minas Gerais, condenou uma empresa mineira em danos morais, a indenizar em R$ 50 mil sua ex-funcionária por assédio moral decorrente de gordofobia.

A funcionária foi representada pela advogada Grazielle Gonçalves Berizonzi, e o relato mostra que, durante o seu tempo de trabalho na empresa, seu empregador a obrigava a prestar contas de seu peso.

“Na petição consta que no ato do pagamento do salário, o empregador, que possuía uma balança em seu escritório, dizia que o pagamento só seria realizado se ela subisse e comprovasse seu emagrecimento” relata a advogada.

VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA

Na defesa, o empregador alegou a atitude afirmando agir dessa maneira por se considerar um “pai” para a funcionária, com intuito de proteção, preocupação e cuidado com o peso dela. Mas, de fato, o controle de peso da funcionária não foi interpretado dessa maneira, e sim como violência psicológica e um tratamento humilhante vexatório.

A gordofobia pode ser sutil, e por ser algo tão “enraizado” no comportamento humano, nem sempre conseguimos enxergar os efeitos causados por ela, o que dificulta que olhemos para esse ataque como um objeto jurídico. É um caso em que podemos perceber como a gordofobia se manifesta ao redor de nós, seja em abordagens mais indiretas ou de maneira nítida e constrangedora. E isso acontece todos os dias e em todos os lugares.

Este vídeo pode te interessar

Fica o exemplo, tanto para os empregadores quanto para o trabalhador que talvez tenha sofrido - ou esteja sofrendo - em seu ambiente de trabalho qualquer tipo de pressão ou constrangimento em relação ao seu corpo, pois os entendimentos estão mudando e os direitos sendo aplicados.

Em tempos que a gordofobia ainda é vista por muitos como uma causa sem sentido, as decisões mostram o contrário, trazendo o tema para o lugar relevante que merece. Isso precisa ser discutido.

A gordofobia jamais deve ser relativizada e explicada dentro de outros conceitos, é uma discriminação específica, fruto de um preconceito enraizado e naturalizado ao longo da história. Por muito tem não foi discutida, nem pautada. Hoje isso está mudando. Ainda bem, porque esse tipo de comportamento pode trazer  danos irreversíveis,  físicos e psicológicos, às vítimas.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Gordofobia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.