ASSINE
Crítico de cinema e colunista de cultura de A Gazeta

Filme "Bala Perdida" é pura ação e boa surpresa na Netflix

Filme francês "Bala Perdida" vai direto ao assunto com ótimas sequências de ação e uma história que funciona bem

Publicado em 22/06/2020 às 15h15
Atualizado em 22/06/2020 às 15h15
Filme
Filme "Bala Perdida", da Netflix. Crédito: Netflix/Divulgação

Talvez eu esteja contagiado pelas últimas porcarias que ocuparam o posto de “filmes mais vistos da Netflix”, mas o francês “Bala Perdida” é surpreendentemente bom “apesar” de estar entre os mais vistos da plataforma. Dirigido pelo novato Guillaume Pierret, o filme é rápido, objetivo e direto, como devem ser os bons filmes de ação, principalmente os de orçamento limitado.

“Bala Perdida” gira ao redor de Lino, um mecânico que acaba preso após um assalto audacioso, mas fracassado - seu feito, porém, se espalhou pela cidade. Seu talento para modificar carros despertou o interesse do policial Charas (Ramzy Bedia), chefe de uma unidade de combate do tráfico de drogas que tem visto seus carros serem deixados para trás nas perseguições. Ele, então, recruta Lino para trabalhar com ele e mexer nos carros da polícia, deixando-os mais competitivos.

A parceria funciona bem, mas certo dia Lino se depara com um caso de corrupção na polícia e é incriminado por ele. Para não ser preso, descobrir a verdade e expor os verdadeiros culpados, ele dá início a uma fuga acelerada.

“Bala Perdida”, como aparece na plataforma, passa a impressão de ser um genérico de “Velozes e Furiosos”, mas o filme francês surpreendentemente é bem mais interessante do que isso. Muito provavelmente pela falta de recursos, Guillaume Pierret entrega um filme de ação sem grandes efeitos, mas com boas sequências de embate físico e divertidas perseguições automobilísticas.

O roteiro é simples, sem grande desenvolvimento de personagens ou uma discussão mais profunda sobre qualquer coisa, mas funciona. Funciona porque o filme entende sua vocação, entende o que seu público busca: adrenalina. Além disso, ele é competente o suficiente ao nos fazer acreditar na capacidade de Lino como mecânico.

Filme
Filme "Bala Perdida", da Netflix. Crédito: Netflix/Divulgação

Assim, resta ao espectador acreditar nas informações que lhe são passadas e no que vê em tela. Alguns relacionamentos, por exemplo, são forçados e não passam ao espectador sua real dimensão; seria mais interessante ter algumas explicações para que entendêssemos o vínculo entre personagens, mas, de qualquer forma, a opção por não desenvolver a trama dessa forma não compromete o resultado final.

Com pouco mais de 90 minutos de duração, “Bala Perdida” é um que vai filme direto ao ponto. É ação que você quer? É ação que você terá! Filmado em 38 dias, o filme tem duas sequências em especial que impressionam; a primeira na delegacia, ainda no primeiro arco, já a segunda, uma divertida perseguição de carros que encontra saídas criativas e “baratas”. Elas não são grandiosas, mas nem por isso são menos empolgantes e divertidas.

“Bala Perdida” é um filme que sabe o que quer ser, ele reconhece seus pontos fortes e os explora sem se importar muito com seus pontos fracos. É ação simples e bem-feita. Mesmo sem ser um grande filme, é um bom entretenimento para os fãs do gênero.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Fique bem Netflix

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.