É psicológa, pedagoga e teóloga com doutorado pela PUCSP. Se tornou uma cientista do comportamento para compreender o que move os relacionamentos humanos

Você no controle

"Lembrando que: controlar-se não significa ignorar-se ou reprimir-se, mas sim ser capaz de processar e responder aos seus impulsos e às forças internas de modo equilibrado e saudável"

Publicado em 23/08/2020 às 09h30
Atualizado em 23/08/2020 às 09h30
Pessoa saltando
"Não há mágica. É um processo que vai avançando à medida que nos empenhamos". Crédito: Freepik

Você no controle!

Como obter controle? É aprendizado!

Assim como tudo!

Escuto pessoas pedindo diariamente aquela “fórmula mágica”:

- Uma pílula milagrosa para enfrentar a próxima ponte aérea sem surtar no voo.

- Uma tática instantânea pra utilizar antes de abrir a geladeira e devorar o pudim.

- Um escudo invisível para se livrar de pessoas irritantes que te causam raiva e você deseja ignorar ou disparar xingamentos que lhe causariam alívio.

Nada disso existe! A única coisa que realmente funciona é praticar o controle.

Acompanhe-me neste pensamento: quando você foi aprender a ler e a escrever, aconteceu em uma rápida ida à escola? Deu uma breve passadinha lá e tudo se resolveu?

Lógico que não! Assim ocorre também com o controle. Precisamos de tempo, de treino, de ensaio e erro, de assimilação, de acomodação ‘do novo agir, do novo pensar e do novo sentir’.

É assim que a gente aprende a ter controle e domínio de nós mesmos.

Não há mágica. É um processo que vai avançando à medida que nos empenhamos. E isso envolve a disponibilidade, a vontade e a capacidade de cada um.

Obter controle sobre si mesmo é uma arte que deveria ser praticada desde a infância. Lá mesmo, quando nossos pais nos repreendiam e então, caíamos no choro ou batíamos a cabeça na parede com birras. Ou, na adolescência, quando tomamos nosso primeiro fora e ficamos na fossa por meses... Assim como aprender a ler e escrever, aprender a nos dominar exige dia após dia.

Comecemos agora!

Lembrando que: controlar-se não significa ignorar-se ou reprimir-se, mas sim ser capaz de processar e responder aos seus impulsos e às forças internas de modo equilibrado e saudável.

Fique bem opinião

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.