É psicológa, pedagoga e teóloga com doutorado pela PUCSP. Se tornou uma cientista do comportamento para compreender o que move os relacionamentos humanos

Quando o brilho no olhar se apaga

"Quando o brilho no olhar se apaga, nos mostra a incapacidade da manutenção do amor verdadeiro, genuíno, luminoso, sincero, reluzente e intenso"

Publicado em 25/07/2020 às 08h00
Atualizado em 25/07/2020 às 08h00
Olhos; olhar
"Em tese: me falta luz = me falta amor.". Crédito: Freepik

Uma Luz apagada no olhar significa a soma das memórias que corroem os bons sentimentos. A luz apagada no olhar é sobre o poder que alguém tem de estragar uma relação, outrora, alumiada!

Quando o brilho no olhar se apaga, nos mostra a incapacidade da manutenção do amor verdadeiro, genuíno, luminoso, sincero, reluzente e intenso.

Cônjuges que já sofreram traição, violência emocional, abusos relacionais, abalos na percepção do outro devido a frustrações e decepções...Como farão e darão o melhor de si para os pares? Como lhes iluminarão?

Cônjuges casados com parceiros que fitam outras pessoas nos olhos e se fingem de ingênuos...Trocam suspiros e insinuações em festas, churrascos, baladas e confras sociais...

O outro registrando só inseguranças e mágoas...tendo acessos de fobia e tremores pela visão da traição in lócus.

...síntese de muito sintoma fetichista, inafetiva e perversa do parceiro.

Terminam por ter uma identidade maculada, usada, massacrada, exacerbada e potencializada pra perdição, viciada e humilhada, muito cansada ... sem conseguir vislumbrar quem eram a si mesmos na relação. O cúmulo da vivência no escuro. Sem brilho, sem olhares... sem iluminar jornadas, perdição.

Ao contrário , a luz é mantida por meio de ações que evocam a consciência de que a falta de amor próprio distorce qualquer tentativa de se amar alguém. Por isso, o ser que adere ao obscuro nos mantém numa melancólica névoa ... como vampiros sugando seus pares num imposto breu relacional.

Portanto, não te tornes em fonte de trevas para ti mesmo, pois nossos pares nos refletem...em agonia e desespero o que somos por dentro.

Quando apago uma luz, espelho no outro a falta de luz que há em mim. Em tese: me falta luz = me falta amor. Apago no outro o amor, posto que não há em mim correspondência e equivalência pra mantê-lo em bons afetos. Apago a luz do olhar do par pra revelar a minha exata obscuridade...construímos um caminho tenebroso para o nosso ser e uma vereda escabrosa para o próximo.

Fique bem opinião

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.