ASSINE
Jornalista de A Gazeta há 10 anos, está à frente da editoria de Esportes desde 2016. Como colunista, traz os bastidores e as análises dos principais acontecimentos esportivos no Espírito Santo e no Brasil

Comitê Olímpico Brasileiro celebra desempenho do Time Brasil em Tóquio

Capixaba de coração, o presidente do COB Paulo Wanderley  destacou que com 21  medalhas e o 12° lugar no quadro, o Brasil conquistou sua melhor colocação na história dos Jogos Olímpicos

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 08/08/2021 às 09h24
Paulo Wanderley, presidente do Comitê Olímpico do Brasil
Paulo Wanderley, presidente do Comitê Olímpico Brasile. Crédito: Wander Roberto/COB

O Brasil teve um desempenho excelente nos Jogos Olímpicos de Tóquio, principalmente quando observadas as dificuldades de um ciclo que teve um ano a mais, que foi duramente afetado pelos efeitos da pandemia de Covid-19 na sociedade e que veio após uma boa exibição em uma edição olímpica em casa.

As desculpas para um eventual fracasso da delegação brasileira no Japão já estavam prontas, uma vez que os desafios da preparação foram enormes. Entretanto, os atletas brasileiros provaram que possuem talento para superar todas as adversidades. O Brasil fechou às Olimpíadas de Tóquio na 12º colocação no quadro de medalhas, foram 21 no total (7 ouros - 6 pratas - 8 bronzes). Melhor posição que o Time Brasil termina em uma edição dos Jogos e maior número de medalhas conquistadas.

Por conta desse cenário, a coletiva da diretoria do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) na manhã deste domingo (08), teve clima leve e de muita alegria. Presidente do COB -natural potiguar, mas capixaba de coração-, Paulo Wanderley comemorou o resultado do Time Brasil em Tóquio.

Paulo Wanderley

Presidente do Comitê Olímpico do Brasil

"Foi a melhor campanha do Brasil em Jogos Olímpicos. Um conjunto de bons resultados. Conseguimos o maior número de medalhas, subimos na classificação. Realizar um feito importante, principalmente após um ótimo desempenho no Jogos que realizamos em casa. A meta foi atingida e estamos satisfeitos com o resultado. Nosso objetivo era superar os números da Rio-2016 e conseguimos. Agora o Sarrafo subiu, mas vamos manter o objetivo para Paris-2024"
Membros do Comitê Olímpico do Brasil avaliaram o desempenho do Time Brasil, em Tóquio
Membros do Comitê Olímpico do Brasil avaliaram o desempenho do Time Brasil, em Tóui. Crédito: Wander Roberto/COB

Sub-Chefe de Missão do Comitê Olímpico Brasileiro, Jorge Bichara destacou a evolução do Brasil no quadro de medalhas, mas ressaltou que é importante trabalhar para evoluir. “O resultado coloca o Brasil em posição de disputa interessante. Ver o Brasil brigando com países que são potências olímpicas nos coloca em um patamar de competitividade. Não tenho a pretensão de dizer que o Brasil é uma potência olímpica, isso exige muito mais. Temos que caminhar muito, mas também reconhecer o valor do trabalhos dos atletas, clubes e treinadores”, pontuou. 

O próximo desafio dos atletas brasileiros e do COB já começou. Em três anos, acontecem os Jogos de Paris-2024, que terá um ciclo menor, desta vez de três anos. Com o fim das Olimpíadas de Tòquio, os atletas retomam seus calendários, enquanto o Comitê Olímpico já inicia todos os preparativos para a edição francesa dos Jogos. E o objetivo já está muito claro: superar os resultados obtidos no Japão.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.