ASSINE
Aquiles Reis é músico e vocalista do MPB4. Nascido em Niterói, em 1948, viu a música correr em suas veias em 1965, quando o grupo se profissionalizou. Há quinze anos Aquiles passou a escrever sobre música em jornais. Neste mesmo período, lançou o livro "O Gogó de Aquiles" (Editora A Girafa)

Jacque Falcheti mata as saudades de Noel Rosa com "Outras Bossas"

Cantora conta com ajuda do Trio Retrato Brasileiro para revisitar músicas não tão populares do ícone do samba

Publicado em 17/08/2021 às 18h02
A cantora Jacque Falcheti e o trio Retrato Brasileiro reapresentam 10 músicas de Noel Rosa no álbum 'Outras bossas'
A cantora Jacque Falcheti e o trio Retrato Brasileiro reapresentam 10 músicas de Noel Rosa no álbum 'Outras bossas'. Crédito: Matheus Assim / Divulgação

A esta altura do campeonato, se vivo fosse, Noel Rosa estaria completando 110 anos de vida, música e brasilidade. Para reverenciá-lo, temos o álbum "Outras Bossas" (gravado nos estúdios da Fatec de Tatuí/SP e lançado pela Gravadora Experimental), nascido do desejo da cantora Jacque Falcheti de reverenciar Noel Rosa.

Para tal, ela convidou Gabriel Peregrino (vibrafone), Guilherme Saka (guitarra) e Théo Fraga (contrabaixo): o Trio Retrato Brasileiro. Juntos, foram em busca de músicas pouco conhecidas de Noel.

Foram muitos os recursos eletrônicos usados na guitarra, no contrabaixo e no vibrafone usados pelo trio. Como instrumentos harmônicos que são, eles se valeram de mil e um recursos técnicos, através dos quais trataram de fazê-los soar também como instrumentos rítmicos. Assim, ó: com a guitarra, o som de um tamborim; com contrabaixo, o som de um surdo, e com o vibrafone, um repique de anel, por exemplo.

Esse recurso valeu também para ampliar os instrumentos de cordas. Foi quando contrabaixo e guitarra transfiguraram seus sons originais em violão de sete, cavaco, viola caipira ou em bandolim, por exemplo.

Quando eu tomei conhecimento da utilização desses recursos técnicos na gravação, me espantei. Como assim, Noel Rosa com Pro Tools? O contrabaixo fazendo a vez do surdo? O vibrafone substituindo o repique de anel?

Ponho o disquinho "Outras Bossas" para rodar. Cabreiro desde o início, eu temia estranhar as “modernidades sonoras”... e não é que elas arrasaram.

Isso é que dá ter "medo de música", de qualquer música. Há que as ouvir todas, sempre, nem que seja apenas para confirmar que não gostou. Eu apostei e gostei!

O som dos meninos trouxe amplitude ao canto de Jacque Falcheti. Além de que, juntos, revitalizaram parte importante do repertório de Noel.

A voz de Falcheti tem personalidade – impressão reforçada ao longo de cada audição. Seu timbre, sua afinação e suas divisões rítmicas são capazes de sensibilizar a todos que têm Noel como baluarte da música brasileira.

Os arranjos de Jacque Falcheti e do Retrato Brasileiro são justamente o que se poderia esperar de um CD em homenagem a Noel Rosa e à sua música. Ouvi-las aumenta a certeza de que a música popular brasileira, pela sua diversidade, é mesmo a melhor do mundo. "Outras Bossas" é trabalho a ser escutado com atenção.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.