ASSINE

Número 2 de Queiroga recomenda evitar festas e Carnaval por causa da ômicron

O temor de uma nova onda de contágio da Covid-19, ainda mais com a descoberta da variante ômicron, tem feito diversas cidades cancelarem a folia

Tempo de leitura: 2min
Publicado em 14/12/2021 às 16h47
Rodrigo Cruz assume o Ministério da Saúde provisoriamente
O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz. Crédito: Myke Sena/Ministério da Saúde

secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, recomendou não planejar festas de fim de ano e carnaval por conta da variante ômicron.

"O posicionamento do Ministério é conservador, como a gente ainda não sabe os efeitos da variante, a recomendação é que não se planeje festa de fim de ano e não se planeje ainda Carnaval. É tudo muito cedo", destacou em suas redes sociais.

No início do mês de dezembro, a secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 do Ministério da Saúde, Rosana Leite de Melo, disse que não recomendava a realização do Carnaval em 2022. Ela argumentou que festas com grandes aglomerações podem aumentar a transmissão da doença.

Segundo Leite, apesar de o país já estar com alta cobertura vacinal, nesses eventos há dificuldade de manter protocolos não farmacológicos que são importantes para evitar a contaminação. Entre eles o uso de máscara, medida de distanciamento e higiene das mãos.

"O Carnaval é uma festa que nós nos aglomeramos, que nós estamos juntos. É impossível você não ficar aglomerado nessas festas. E nós sabemos que mesmo o indivíduo estando com o seu esquema vacinal completo, até com dose de reforço, ele pode se contaminar", avaliou.

"É extremamente arriscado por tudo que nós já passamos, não só nós brasileiros, mas que o mundo já passou em relação a isso, fazer esse tipo de reunião, de comemorações no atual momento. É claro que estamos em dezembro, e em fevereiro ou março as coisas podem mudar. Mas hoje a nossa posição é que isso seja pensado com extrema cautela e não recomendamos no momento", finalizou.

O temor de uma nova onda de contágio da Covid-19, ainda mais com a descoberta da variante ômicron, tem feito diversas cidades cancelarem a folia. Em muitas das cidades, porém, os vetos se restringem somente à esfera pública. Prefeituras do interior e do litoral de São Paulo anunciaram recentemente o cancelamento em massa de atividades carnavalescas em 2022.

A Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais também decidiu por unanimidade não promover o Carnaval em 2022.

Fazem parte do grupo 30 municípios mineiros, entre eles, Ouro Preto e Diamantina, que possuem Carnavais tradicionais no estado.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.