ASSINE
Autor(a) Convidado(a)
É presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-ES)

Vacinas e reformas, é disso que o Brasil precisa

Está nas mãos do Congresso a oportunidade de colocar o Brasil no caminho de se tornar um país com ambiente favorável aos investimentos, com administração moderna e segurança jurídica

Publicado em 08/04/2021 às 02h00
Congresso Nacional: Para Samir Nemer, há condições para as discussões sobre a reforma tributária avançarem entre os parlamentares em 2021
Câmara dos Deputados, em Brasília. Crédito: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Estamos no quarto mês de 2021 e a cada dia nos aproximamos mais de 2022, ano de eleições majoritárias. Sabemos que em ano eleitoral o país vive uma certa letargia em relação a pautas que necessitam de debates aprofundados, como as reformas de que o Brasil tanto precisa.

Entendemos que a atenção neste momento é na prevenção do coronavírus, e não poderia deixar ser, mas, passado esse imbróglio, caminhamos para a vacinação da população, medida primordial para o crescimento econômico do país.

No entanto, outras medidas são aguardadas há muito tempo pelos brasileiros, que são as reformas administrativa tributária. Juntas, elas têm o poder de transformar o Brasil em um dos maiores países de desenvolvimento econômico e industrial do mundo.

Precisamos que o Congresso aja rápido, pois corremos o risco de ter de esperar mais um processo eleitoral para que o assunto retorne à pauta. Se isso ocorrer, trará consequências ainda mais desastrosas para o país, que amarga com o desemprego e o fantasma da inflação.

Todo brasileiro, seja empregador, seja empregado, sente no bolso as distorções do sistema tributário. Essa reforma é aguardada há muito tempo, pois acreditamos que vá simplificar e modernizar a arrecadação de impostos, com impactos positivos na produtividade e no crescimento econômico.

Já a PEC 32/20, conhecida como a reforma administrativa, representa muito mais do que uma reformulação nas regras do funcionalismo público. Isso porque tem condições de barrar o colapso no orçamento público e também na prestação de serviços à população. Acreditamos que o gigantesco tamanho do Estado brasileiro precisa, de alguma forma, ser reduzido para que União, Estados e municípios tenham capacidade de fazer investimentos. Todos sabemos que o Estado custa muito, mas entrega pouco.

Está nas mãos dos deputados federais e senadores a oportunidade de colocar o Brasil no caminho de se tornar um país com ambiente favorável aos investimentos, que tenha uma administração moderna, que ofereça segurança jurídica, que reduza a burocracia e que utilize ferramentas tecnológicas.

É disso que precisamos.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.