ASSINE
Ensino on-line ou
híbrido, com aulas
virtuais e presenciais,
tornou-se rotina
Ensino on-line ou híbrido, com aulas virtuais e presenciais, tornou-se rotina. Crédito: ARTHURHIDDENPI

Pandemia da Covid-19 acelera revolução digital no ensino

Pandemia exigiu que escolas públicas e privadas mudassem forma de ensinar e se conectassem mais rápido às oportunidades do mundo digital

Colatina
Publicado em 24/11/2021 às 02h50

Educação Saúde são pilares para qualquer sociedade igualitária. São campos com os maiores desafios a serem enfrentados, mas também onde estão os investimentos, principalmente em inovações tecnológicas, com mais possibilidades promissoras para a sociedade.

Já se discutiam métodos de integrar o ensino ao meio digital, porém com o cenário pandêmico, a educação percebeu a necessidade de se conectar. De um ano para outro, alunos e professores viram um avanço na adoção de tecnologias.

“A pandemia foi com certeza um desafio, mas ela pôs em prática, na educação, em um ano, uma tecnologia que a gente vem discutindo há 20 anos. No começo de 2020, nós tínhamos professores com dificuldade até de acessar um e-mail. Hoje, eles são capazes de orientar os alunos a utilizar plataformas de ensino, transmitir e gravar aulas ao vivo ”, afirma a secretária de Educação de Vitória, Juliana Rohsner.

O município de Vitória disponibiliza plataformas on-line nas quais os alunos podem ter novas experiências de aprendizagem e de interação por meio de games. Os professores precisaram fazer cursos e se adaptar à nova realidade, mas para os alunos as tecnologias já fazem parte do dia a dia.

“A escola se tornou mais atrativa e imagética para uma geração que já é nativa digital e já utiliza essa tecnologia fora da escola. É um novo processo de aprendizagem, mas um caminho natural. Nosso desejo é manter as tecnologias que foram adotadas por causa da pandemia, mesmo depois que as aulas voltarem a ser presenciais. O primeiro passo é garantir que tenham internet e os equipamentos necessários, o que ainda não é uma realidade”, aponta.

Para o ano de 2022, os 45 mil estudantes do ensino municipal de Vitória vão ter acesso a novos computadores e notebooks. Entre os equipamentos adquiridos, estão também 30 mil tablets com conexão de internet, que os alunos poderão levar para casa e ter acesso aos conteúdos digitais mesmo fora da sala de aula.

Em uma escola particular de Vitória, as salas de aula foram equipadas com projetores, câmeras e materiais de leitura estão disponíveis em formatos digitais. A transmissão de aulas on-line ao vivo, que era um recurso apenas temporário, vai ser mantida mesmo após a pandemia.

Segundo o vice-diretor pedagógico da escola, Armando Chafik, a instituição pretende manter um modelo híbrido com aulas não só presenciais, mas também on-line para os alunos que, por algum motivo, não puderem comparecer. De acordo com o profissional, até a participação dos alunos mudou.

“Muitos se adaptaram muito bem ao modelo on-line. Principalmente alunos mais tímidos, que tinham vergonha de participar na sala de aula, hoje, se sentem mais confortáveis para interagir de forma virtual. É um modelo que a gente pretende manter, mas de forma hibrida”, conta.

A escola também oferece portais online nos quais os alunos podem fazer exercícios, redações e até provas, tudo de forma virtual. O processo não só facilita e torna mais dinâmica a aprendizagem dos alunos, como também otimiza o trabalho de correção, que antes era feito somente pelo professor.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.