ASSINE
A Igreja Nossa Senhora do Rosário na Prainha, em Vila Velha.
A Igreja Nossa Senhora do Rosário na Prainha, em Vila Velha. . Crédito: Carlos Alberto Silva

A história da Igreja do Rosário da Prainha, a mãe de todas as igrejas capixabas

A Igreja de Nossa Senhora do Rosário é a matriz das 17 paróquias de Vila Velha, a secular e mais antiga igreja em funcionamento do Brasil

Publicado em 09/10/2021 às 09h03
  • Manoel Goes Neto

    É escritor e subsecretário da Cultura de Vila Velha

A Prainha de Vila Velha foi a porta de entrada dos primeiros colonizadores do nosso Espírito Santo. O berço da nossa colonização, o nosso sítio histórico que hoje abriga importantes construções antigas, como a secular e mais antiga igreja em funcionamento do Brasil, a Igreja do Rosário. O projeto de lei do vereador Joel Rangel, em 2015, oficializou a Nossa Senhora do Rosário como a padroeira da cidade de Vila Velha. A Igreja de Nossa Senhora do Rosário é a matriz das 17 paróquias de Vila Velha, reconhecida como a mãe de todas as igrejas capixabas.

No período de 7 a 10 de outubro comemoraremos os Festejos da Padroeira Nossa Senhora do Rosário, com vasta programação religiosa e atrações culturais e musicais, como era feito nos séculos passados, com o envolvimento e participação de toda a comunidade da Prainha, mas que foi se perdendo com o passar do tempo, e que nos últimos anos está sendo resgatada com fervor.

Ao chegar à capitania, o donatária Vasco Coutinho, em 23 de maio de 1535, determinou a imediata construção da capela de madeira e palha. Foi na Prainha que tivemos a capela que deu origem a atual Igreja de Nossa Senhora do Rosário, como temos hoje. A Igreja do Rosário vem testemunhando, como nenhum lugar de devoção, a construção da história capixaba nestes 486 anos.

É a mais antiga igreja em funcionamento litúrgico do Brasil, a mais antiga do Espírito Santo e uma das três mais antigas em construção do país. A pedra d’ara da Igreja do Rosário da Prainha data de 1535. A pedra d’ara, ou pedra do altar das igrejas católicas instaladas no altar-mor, são relíquias que dão as datas de fundações dos templos religiosos. A igreja de Igaraçu, em Pernambuco, também tem datada em sua pedra d’ara o ano de 1535.

Estima-se que em 1551 que os padres jesuítas que aqui chegaram teriam ajudado a erguer outra capela maior, o que nos leva a crer que foi o início da construção da atual Igreja do Rosário. A Igreja recebeu várias visitas de Padre Anchieta e Frei Pedro Palácios. Consta a visita do Imperador Pedro II à Igreja do Rosário em 1860, depois de visitar o Convento da Penha. Relatam alguns documentos que ao longo do tempo tivemos várias obras de recuperação da Igreja do Rosário.

A Igreja Nossa Senhora do Rosário na Prainha, em Vila Velha.
A Igreja Nossa Senhora do Rosário na Prainha, em Vila Velha. . Crédito: Carlos Alberto Silva

Segundo pesquisadores o altar-mor atual foi instalado em 1908, e reforçado quando da chegada dos bondes em Vila Velha, em 1912, devido a trepidação dos mesmos. Foram instalados os ladrilhos hidráulicos no piso em 1980. Em 1990, outra reforma na parte de madeira, sendo substituído o coreto por concreto armado. Em 2007, foi restaurado o altar-mor, e em 2017 foi realizada a última restauração profunda, onde se recuperou a pintura do final do século XIX.

Enfim, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário é testemunha da história capixaba e do Brasil nestes 486 anos. Verdadeiramente, um templo de fé cristã que reúne muita religiosidade, história e arte.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.