ASSINE

Veja os medalhistas do Brasil nas Olimpíadas de Tóquio

Cinco anos depois de competir em casa, o Brasil obteve do outro lado do mundo, nos Jogos de Tóquio, seu recorde de medalhas em uma única edição olímpica

Publicado em 08/08/2021 às 08h44

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Cinco anos depois de competir em casa, o Brasil obteve do outro lado do mundo, nos Jogos de Tóquio, seu recorde de medalhas em uma única edição olímpica.

Rebeca conquistou a medalha de ouro no salto
Rebeca conquistou a medalha de ouro no salto. Crédito: Miriam Jeske/COB

No total, a delegação brasileira encerrou a participação no Japão com 21 pódios. Foram sete medalhas de ouro, seis de prata e oito de bronze.

Na Rio-2016, recorde brasileiro até então, o país teve a mesma quantidade de ouros e pratas, mas ficou com dois bronzes a menos.

Na madrugada deste domingo (8), o Brasil perdeu a chance de superar também o número de medalhas douradas. A seleção brasileira de vôlei feminino foi derrotada pelos Estados Unidos e ficou em segundo lugar. Antes, a boxeadora Beatriz Ferreira ficou com a prata ao perder a luta para a irlandesa Kellie Harrington na categoria peso leve, até 60 kg.

Com dois pódios a mais que a última edição dos Jogos, a campanha brasileira no Japão foi impulsionada pela entrada de novas modalidades no programa olímpico, como o surfe e o skate. Com o calendário mais inchado, Tóquio distribuiu 11% mais pódios do que no Rio --houve também as estreias da escalada e do caratê, mas o Brasil não teve representantes nesses esportes.

O surfista Italo Ferreiro conquistou o ouro, e os skatistas Rayssa Leal e Kelvin Hoefler, na modalidade street, e Pedro Barros, no park, ficaram com a prata.

Sem as quatro medalhas do surfe e do skate, o Brasil teria somado 17 medalhas no total, ou seja, duas medalhas a menos (ou 10,6%) que o conquistado na Rio-2016.

O salto, portanto, é considerado positivo uma vez que, em geral, após sediar o evento, os países caem em número de medalhas nas Olimpíadas seguintes, ainda que fiquem em um patamar mais alto do que antes de receber as competições em seu próprio território.

MEDALHAS BRASILEIRAS NOS JOGOS DE TÓQUIO-2020

Total: 21

7 ouros

Italo Ferreira - surfe

Martine Grael e Kahena Kunze - vela

Rebeca Andrade - ginástica artística (salto)

Ana Marcela Cunha - maratona aquática

Isaquias Queiroz - canoagem velocidade

Hebert Conceição - boxe

Futebol masculino

6 pratas

Vôlei feminino

Bia Ferreira - boxe

Kelvin Hoefler - skate street

Rayssa Leal - skate street

Pedro Barros - skate park

Rebeca Andrade - ginástica artística (individual geral)

8 bronzes

Mayra Aguiar - judô

Daniel Cargnin - judô

Thiago Braz - salto com vara

Alison dos Santos - 400 m com barreiras

Bruno Fratus - natação (50 m livre)

Fernando Scheffer - natação (200 m livre)

Laura Pigossi e Luisa Stefani - tênis

Abner Teixeira - boxe

MEDALHAS BRASILEIRAS NOS JOGOS DO RIO-2016

Total: 19

7 de ouro

Vôlei masculino

Futebol masculino

Rafaela Silva - judô

Thiago Braz - salto com vara

Martine Grael e Kahena Kunze - vela

Alison e Bruno - vôlei de praia

Robson Conceição - boxe

6 de prata

Isaquias Queiroz - canoagem velocidade

Isaquias Queiroz e Erlon de Souza - canoagem velocidade

Ágatha e Bárbara - vôlei de praia

Arthur Zanetti - ginástica artística (argolas)

Diego Hypólito - ginástica artística (solo)

Felipe Wu - tiro esportivo

6 de bronze

Mayra Aguiar - judô

Rafael Silva - judô

Arthur Nory - ginástica artística (solo)

Poliana Okimoto - maratona aquática

Isaquias Queiroz - canoagem velocidade

Maicon Siqueira - taekwondo

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.