ASSINE

Fechamento de distribuidoras de bebida levanta debate entre leitores

Em mais uma tentativa de reduzir aglomerações, Secretaria de Estado da Saúde restringir a venda de bebidas alcoólicas nos finais de semana e feriados

Publicado em 22/06/2020 às 11h24
Atualizado em 22/06/2020 às 11h24
Distribuidoras de bebidas e lojas de conveniência foram afetadas por portaria da Sesa
Distribuidoras de bebidas e lojas de conveniência foram afetadas por portaria da Sesa. Crédito: Pixabay

Em mais uma tentativa de reduzir aglomerações para combater o avanço do novo coronavírus, a Secretaria de Estado da Saúde  (Sesa) decidiu restringir a venda de bebidas alcoólicas nos finais de semana e feriados no Espírito Santo. Uma portaria assinada pelo secretário Nésio Fernandes proibiu a comercialização de bebidas nesses dias em lojas de conveniência e em distribuidoras.

Durante a semana, nos dias úteis, a venda só sera permitida do meio-dia às 16 horas. Até então, só estava vedado o consumo presencial nesses pontos, norma que continua valendo. As novas regras, de acordo com a portaria, começam a vigorar a partir desta segunda-feira (22).

A medida levantou debate entre os leitores de A Gazeta. Pelos comentários postados em redes sociais, é possível perceber que muitos não entenderam que a motivação para a proibição da venda nos fins de semana é evitar a aglomeração que vem ocorrendo em distribuidoras de bebidas e lojas de conveniência. Outros leitores concordaram com a portaria, enquanto uma parte ainda defendeu que houvesse apenas fiscalização e multa. Confira algumas opiniões: 

Tem que fazer isso mesmo. Meu marido trabalha numa distribuidora e tem dias que lá lota de gente. E se chama a atenção das pessoas, elas não gostam! Fecha mesmo, pelo menos fechado no fim de semana ameniza. Mas ainda tem terminais e supermercados que não fecham e por lá também tem aglomeração. (Lorraynne Ribeiro)

Se não é para sair de casa, não vejo motivo de proibir distribuidoras de vender, já que fazem delivery. (Iraildes Bispo)

As distribuidoras parecem bar, pelo menos onde eu moro está assim. Sabem que não pode haver aglomeração e simplesmente ignoram. A multa, pelo visto, não resolve, é só a fiscalização virar as costas que tudo volta. Sou contra tudo que é arbitrário contra o cidadão, vivemos em um país democrático, não podemos perder isso! São pequenas atitudes que acabam com a liberdade das pessoas. (Sandrielly Penutte)

Tem que fiscalizar e dar multa, não proibir de comprar. (Ana Paula Bernardino)

Senhor governador, e os supermercados também vão fechar! Só quer prejudicar os pequenos comércios e os grande crescem! Tá ganhando o que com isso? (Margareth Oliveira)

Fala sério, governador?! Nem comprar para beber em casa?!... Aí quebrou os capixabas! Estou fazendo direitinho minha quarentena, mas com uma cervejinha em casa é muito melhor! (Wyndilla Campos)

Acredito que essa iniciativa é para impossibilitar as pessoas de ficarem nesses locais bebendo e não da pessoa não comprar a bebida. Moro em Cariacica e aqui os bares estão fechados, mas o povo segue bebendo na porta do bar.... Fica impossível fazer algo se o povo não ajuda! (Núbia Aguiar)

Estou vendo que o governador está perdido mesmo. Se alguém for organizar qualquer evento, ele vai no depósito e compra antes. Ou ele quer favorecer os donos de supermercado, que vão continuar abertos? (Alvinho Romão)

Não acho que o governador esteja perdido, não!! O que tenho visto, inclusive no bairro onde moro em VV, é que as distribuidoras e os bares estão funcionando como se não houvesse pandemia nenhuma!! Inclusive alguns locais com aglomerações com crianças! Quem quiser beber, beba sim, mas de preferência na sua casa! Compre nas distribuidoras, não se aglomere lá não. Ao meu ver, essas medidas são estão ficando mais severas porque o povo não cumpre o isolamento social! (Ana Lídia Alvinho Romão)

Vocês não entenderam. Ele inventa esses decretos para dizer que está fazendo de tudo pra combater a Covid-19, mas hospitais de campanha nada, kit com medicamentos para combater a doença também não. Respiradores, nem se fala. (Eder Jones)

Beleza. Agora resolve o problema da Covid-19. (Daniel Diniz)

Como sempre decisões absurdas que não ajudam em nada. Os comerciantes mais afetados com essa pandemia vão amargar ainda mais suas despesas e prejuízos! Como sempre o governo não ajuda em nada, só atrapalha! (Juliano Salazar)

Mas a lógica seria a distribuidora vender e cada um beber em casa, né não?! Aí todo mundo vai para o bar e está tudo certo? Que coisa, hein? (Ludmila Ribeiro)

Já não basta o isolamento social e ainda não podemos nem tomar uma gelada em casa. Então vamos ter comprar quente na semana e guardar para o fim semana. (Eliana Ferreira)

Gente, o problema não é beber. As pessoas ainda não entenderam o q é isolamento social. As distribuidoras não respeitam e funcionam como bares, o problema está aí. Estamos no meio de uma pandemia e as pessoas querem levar a vida normalmente e cobrar do governador, mas fazer a sua parte que é bom, nada. (Marcia Facundes)

Não posso encher a cara dentro da minha casa, mas posso ir ao shopping andar com uma sacolinha na mão. (Vanessa Oliveira)

Mas que loucura isso. Por que não confiscam bebida em toda parte? Querem é quebrar as pequenas empresas. (Bel Cerutti)

Isso é por causa de aglomeração! Mas supermercado lotado , ônibus, terminais, tudo é aglomeração. Confusas essas normas e medidas! (Vilma Vellani Prudencio)

Governo do Espírito Santo, Sr. Renato Casagrande, o senhor quer terminar de afundar a economia do Estado? O senhor está proibindo em supermercados também? Olha que lá os clientes tocam nas garrafas que não são higienizadas. Em distribuidoras o cliente pega e vai embora, ou liga e recebe em casa. (Alvo Morandi)

Tem que avisar ao dono da distribuidora aqui da frente de casa!!! Bombando… aliás nunca nem fechou! (Fernanda Santoro)

Os bares só podem abrir até as 16h… passo de carro e vejo os do bairro aqui e os dos bairros vizinhos todos abertos após as 16h. Quem vai fiscalizar? Inclusive em Novo México, bem na pracinha, fica uma unidade móvel da PM e bem em frente um bar aberto, que abre às 17h e vai até a madrugada. (Roza Fazolo)

Não vai adiantar nada, pois as distribuidoras não têm culpa do povo que quer fazer social e festinhas com os amigos. Vai continuar tendo, pois as pessoas vão comprar no supermercado. As pessoas é que têm que ter mais consciência. (Suelen Ramos Amorim)

A Gazeta integra o

Saiba mais
Espírito Santo SESA Coronavírus Coronavírus no ES Covid-19 espírito santo Bebida Alcoólica Pandemia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.