ASSINE

Colatina: São Pedro Frio e Itapina atraem turistas em busca de paz

Para quem busca tranquilidade, contato com a natureza e história, as duas regiões da cidade centenária são paradas obrigatórias

Publicado em 20/08/2021 às 08h21

Previsão do tempo em Colatina? Clima sempre quente! Quem diria que a cidade conhecida pelas altas temperaturas tem uma região onde o termômetro chega a menos de 10° graus e leva frio até no nome. Sim, isso é possível! São Pedro Frio é cercada por verde e tem clima de montanha. Por conta do seu potencial, a região terá, inclusive, uma rota turística. Outro recanto da cidade que atrai muitos visitantes é Itapina. Caracterizada pelo bucolismo e pela tradição, o distrito conta com um sítio histórico visitado por muitos turistas. Para quem busca tranquilidade, contato com a natureza e história, as duas regiões são paradas obrigatórias.

Localizada a 40 km do município, São Pedro Frio fica a 600 metros de altitude. A região também possui um mirante a 620 metros, de onde é possível contemplar a exuberante natureza e respirar ar puro. Para quem curte turismo de aventura, o local é um ótimo destino por também contar com corredeiras, cachoeiras e quedas d’água e ter parte da área coberta por mata atlântica preservada. Na região, a temperatura é de 5 graus inferior a da cidade e, no inverno, chega a ficar menor que 10 graus na madrugada.

Natureza exuberante vista de São Pedro Frio, em Colatina. Região terá rota turística. Crédito: Edson Negrelli
Natureza exuberante vista de São Pedro Frio, em Colatina. Região terá rota turística. Crédito: Edson Negrelli

Previsão do tempo em Colatina? Clima sempre quente! Quem diria que a cidade conhecida pelas altas temperaturas tem uma região onde o termômetro chega a menos de 10° graus e leva frio até no nome. Sim, isso é possível! São Pedro Frio é cercada por verde e tem clima de montanha. Por conta do seu potencial, a região terá, inclusive, uma rota turística. Outro recanto da cidade que atrai muitos visitantes é Itapina. Caracterizada pelo bucolismo e pela tradição, o distrito conta com um sítio histórico visitado por muitos turistas. Para quem busca tranquilidade, contato com a natureza e história, as duas regiões são paradas obrigatórias.

Localizada a 40 km do município, São Pedro Frio fica a 600 metros de altitude. A região também possui um mirante a 620 metros, de onde é possível contemplar a exuberante natureza e respirar ar puro. Para quem curte turismo de aventura, o local é um ótimo destino por também contar com corredeiras, cachoeiras e quedas d’água e ter parte da área coberta por mata atlântica preservada. Na região, a temperatura é de 5 graus inferior a da cidade e, no inverno, chega a ficar menor que 10 graus na madrugada.

620 metros de altitude

Altura que fica o mirante de São Pedro Frio, um dos atrativos da região. De lá é possível contemplar a natureza exuberante e respirar ar puro

Atualmente, cerca de 500 famílias vivem em São Pedro Frio, e o café é o principal cultivo. Mas, o clima ameno permite também a plantação de uva e lichia. Segundo Bruno, os visitantes podem colhê-las diretamente do pé.

História

Já em Itapina, a arquitetura dos casarões antigos é uma das razões que mais atrai turistas. Eles fazem parte do Sítio Histórico, tomado pelo governo em 2013. Os imóveis foram restaurados, preservando-se as características arquitetônicas originais e, hoje, contam a história do lugar e de seus personagens mais marcantes. A ponte inacabada e as belezas do Rio Doce também são trunfos da região.

Sem falar no acolhimento e carisma do povo de Itapina, que ousa dizer que, quem conhece quer voltar sempre. Que o diga o pescador Lourival Machado, que é nascido e criado no distrito: “Itapina é um lugar que acolhe e abraça todo mundo. Aqui todo mundo conhece todo mundo, e quem vem uma vez acaba voltando. Nasci aqui e não penso em sair”, afirma.

O vilarejo de Itapina já foi potência econômica na região. Localizado às margens do Rio Doce, em 1910 recebia seus primeiros habitantes. Eram imigrantes de diferentes nacionalidades, principalmente turcos e libaneses, italianos e alemães, que transformaram Itapina em um dos polos comerciais de café mais ricos do Estado. O desenvolvimento econômico e urbano se deu a partir de 1919, com a inauguração da Estação Ferroviária de Itapina, da Estrada de Ferro de Vitória a Minas.

Hoje em dia, a calmaria do distrito de Colatina não lembra os tempos áureos de comercio latente do século passado. Mas toda essa tradição fica eternizada nas fotografias de quem não volta para casa sem registrar os casarões carregados de história.

Pôr do sol é atração contemplada por turistas e moradores de Colatina. Crédito: Amarelo Nardotto
Pôr do sol é atração contemplada por turistas e moradores de Colatina. Crédito: Amarelo Nardotto

Essa matéria não poderia ser finalizada sem citar o monumento do Cristo Redentor, de 33 metros de altura, e o segundo pôr do sol mais belo do mundo, que ilumina a aniversariante centenária. Vale a pena conhecer esses cartões postais da cidade!

Viva, Colatina!

A Gazeta integra o

Saiba mais
Centenário de Colatina Aniversário de Colatina

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.