ASSINE

Vítimas carbonizadas em Ibatiba eram tio e sobrinhas que voltavam de festa

Família das irmãs Larissa Miranda, de 18 anos, e Josilaine Miranda, de 16, e do tio delas, João Batista Fagundes, de 36 anos, aguarda a liberação dos corpos para o sepultamento

Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 19/07/2021 às 20h14
Larissa Miranda, de 18 anos e Josilaine Miranda, de 16, e o tio delas, João Batista Fagundes, de 36 anos
Larissa Miranda, de 18 anos e Josilaine Miranda, de 16, e o tio delas, João Batista Fagundes, de 36 anos. Crédito: Reprodução/ Redes sociais

As três pessoas que morreram carbonizadas no grave acidente na manhã do último sábado (17) eram duas irmãs e o tio delas, que dirigia o Fiat Uno em que o trio estava e que bateu de frente com uma carreta na BR 262, em Ibatiba, na Região do Caparaó. A família voltava de uma festa no município quando o acidente aconteceu.

A família de Larissa Miranda, de 18 anos, e Josilaine Miranda, de 16, e do tio delas, João Batista Fagundes, de 36 anos, aguarda a liberação dos corpos para o sepultamento em Ibatiba. Os corpos estão no Departamento Médico Legal, em Vitória.

“Me informaram que vão demorar mais 20 dias para conseguirem liberar os corpos. A família está em desespero, essa espera está muito difícil”, desabafou a mãe de João, Maria Erondina da Conceição.

Ela conta que mora em Vitória, mas a família é muito unida e, naquele dia, o filho, que trabalhava como pedreiro, e as duas sobrinhas voltavam de uma festa na região. Irmão de João e pai das jovens, José Canuto Dias disse que os dias têm sido de angústia e dor. João Batista Fagundes era seu único irmão.

“Perdemos três pessoas que amamos de uma só vez. Essa dor não passa, a cada dia estamos mais tristes”, disse José Canuto Dias. As filhas viviam com a mãe, que mora em Ibatiba.

Colisão entre Fiat Uno e carreta deixou três vítimas carbonizadas, em Ibatiba
Colisão entre Fiat Uno e carreta deixou três vítimas carbonizadas, em Ibatiba. Crédito: Corpo de Bombeiros

O QUE DIZ A PC

Por nota, a Polícia Civil informou que "o caso segue sob investigação da Delegacia Regional de Ibatiba e, até o momento, nenhum suspeito foi detido. Como se trata de uma investigação em andamento, detalhes não serão divulgados para preservar a apuração dos fatos".

A PC explicou ainda que os corpos das vítimas foram encaminhados para o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória para serem identificados e para ser feito o exame cadavérico, que irá identificar a causa da morte. O prazo para sair laudo cadavérico pela legislação é de 10 dias, podendo ser prorrogado por igual período. Em casos em que são solicitados exames laboratoriais pode demorar mais, principalmente quando necessita de DNA (30 dias) e análise de tecidos (de 60 a90 dias).

A Gazeta integra o

Saiba mais
BR 262 Ibatiba acidente

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.