ASSINE

Facção que atua em Vitória tem até especialista em desbloquear iPhone

Além da venda de drogas, o Terceiro Comando Puro (TCP), que atua no Morro da Garrafa, possui criminosos especializados em roubo e desbloqueio de celulares

Tempo de leitura: 3min
Vitória
Publicado em 05/08/2022 às 18h50

Operação Sicário III, que aconteceu na manhã desta sexta-feira (5) e prendeu nove pessoas, mirava a facção criminosa que atua no Morro da Garrafa, na Praia do Suá, em Vitória. Com aliados no Bairro da Penha e em regiões de outros municípios da Grande Vitória, a organização tinha outras formas de engordar o caixa – não só com o dinheiro das drogas: o roubo de celulares, em especial iPhones, era uma das especialidades do grupo.

 Romualdo Gianordoli

Romualdo Gianordoli

Chefe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP)

"Eles têm uma diversificação de negócios. Além de munições, drogas, armas, eles mexiam com muito iPhone roubado. Tinham os ladrões que roubavam muito esse modelo de e tinha o indivíduo para desbloquear iPhones, o que não é simples. A marca tem muita preocupação com essa segurança"

O especialista em desbloquear os aparelhos já foi identificado e está sendo investigado pela Polícia Civil, de acordo com o delegado.

ENTENDA A ESTRUTURA DO TRÁFICO DO MORRO DA GARRAFA

Apesar de se identificarem como membros da facção Terceiro Comando Puro (TCP), que normalmente é rival do Primeiro Comando de Vitória (PCV) – grupo com sede no Bairro da Penha –, os traficantes do Morro da Garrafa são aliados do PCV.

"O TCP é uma coisa que a gente tem que decifrar. Iniciamos, esse ano, uma investigação do Morro da Garrafa. Conseguimos ver as lideranças do morro, até tivemos a surpresa de saber que eles não são PCV, são da outra facção, o TCP. Apesar de serem aliados do PCV", pontuou o delegado.

De acordo com ele, os dois líderes do tráfico da região são Lucas Henrique Soares, preso há anos, e Gabriel Augusto dos Santos, conhecido como "Blaic", que segue foragido e está na lista dos criminosos mais procurados do Espírito Santo.

Operação aconteceu na manhã desta sexta-feira (5) e prendeu nove pessoas; alvo era facção do Morro da Garrafa, em Vitória
Delegados fizeram balanço das prisões e apreensões da Operação Sicário III. Crédito: Júlia Afonso

Mesmo aliados ao PCV, no Bairro da Penha, o real parceiro do crime dos traficantes do Morro da Garrafa está em outro município. "Há as alianças que se fazem por eles terem o nome TCP, mas tem as alianças de verdade. A real aliança do Morro da Garrafa é o pessoal de Novo Horizonte, na Serra. A gente identificou isso e prendeu um grande fornecedor de drogas deles lá", disse Gianordoli.

O fornecedor está entre os nove presos alvos da Operação Sicário III, que aconteceu durante a manhã. Além do Morro da Garrafa e da Serra, houve buscas em Cariacica e Vila Velha.

OPERAÇÃO SICÁRIO III

O objetivo da operação, de acordo com o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, coronel Márcio Celante, era cumprir 20 mandados de prisão e 40 mandados de busca e apreensão.

Entre os nove presos, está um dos chefes do tráfico do Morro da Garrafa, identificado como Robert da Silva Cunha, 25, conhecido como "Gordinho". Na hora que os policiais chegaram na casa do criminoso, ele chegou a pular do segundo andar da residência e quebrou os dois tornozelos.

Dois gerentes do tráfico da região foram capturados, além de outros envolvidos com a facção. A polícia também apreendeu R$ 15.100 em espécie, 310 pinos de cocaína, 490 gramas da mesma droga, uma arma falsa, celulares e relógio.

auto-upload
Secretário Márcio Celante deu entrevista durante a operação e fez um balanço da Sicário III. Crédito: Reprodução TV Gazeta

"O resultado é expressivo em relação às prisões, mas a operação continua na busca de cumprimento de mandados que ainda estão em aberto. No Estado, mais de 70% dos homicídios têm envolvimento direto com o tráfico de drogas. Quando conseguimos tirar (das ruas) e prender traficantes, a tendência é conseguirmos uma redução no número de homicídios", ressaltou o secretário.

Em sua primeira fase, em novembro de 2021, as investigações da Operação Sicário focaram no grupo criminoso que emergiu em 2010 no Bairro da Penha, Vitória, e resultaram na prisão de 24 suspeitos. A segunda fase foi encerrada em março de 2022, resultando na prisão de 35 indivíduos que fazem parte de outra organização criminosa, originária da região de Itararé, em Vitória.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Polícia Civil Vitória (ES) PCV tráfico de drogas

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.