Quatro prédios da mesma construtora estão interditados em Vila Velha

Duas casas do entorno também, segundo informações da Prefeitura de Vila Velha. São cerca de 220 pessoas impactadas diretamente, sendo 60 somente do edifício Santos II, que ameaçou colapsar no bairro Nova Itaparica

Vitória
Publicado em 26/01/2021 às 18h09
Equipe de engenheiros especialistas do Crea-ES foram ao bairro Nova Itaparica, em Vila Velha, para mais uma vistoria no prédio que apresentou instabilidades na estrutura, na madrugada de domingo (24/01)
Cinco edificações estão interditadas, além de prédio que pode cair em Nova Itaparica. Crédito: Ricardo Medeiros

Além do prédio de cinco andares que ameaça cair no bairro Nova Itaparica, em Vila Velha, outros três edifícios da mesma construtora e duas casas — todos localizados no entorno — estão interditados por causa do risco de acidente. Além deles, alguns proprietários de imóveis da região foram notificados sobre o risco de permanecerem no local. São cerca de 220 pessoas impactadas diretamente até esta terça-feira (26), segundo a Prefeitura de Vila Velha.

Somente no edifício Santos II, que ameaçou colapsar, são 23 apartamentos, sendo 21 habitados por 60 pessoas que precisaram deixar suas casas.

A Prefeitura de Vila Velha (PMVV) informou, em nota, que a Defesa Civil, juntamente com a Guarda Municipal, têm garantido o isolamento e segurança da área, enquanto técnicos e engenheiros trabalham para estabilizar o local.

Segundo o coordenador adjunto da Defesa Civil de Vila Velha, Afonso Belenda, no prédio em que houve danos nas pilastras ninguém entra mais. "O prédio foi interditado na chave e nele não entra ninguém mais. Mesmo com o reforço feito pela equipe, a chave está com a construtora, que aguarda o reforço do escoramento, com um projeto", iniciou.

Ele também explicou que à direita do prédio em questão existe um comércio, que já foi evacuado e está vazio. "À esquerda tem uma casa de dois pavimentos, que foi evacuada. Imediatamente à esquerda do prédio, estando de frente para ele, há dois prédios: o Santos I e o Santos 4, que também foram evacuados. Imediatamente atrás do prédio que teve o problema, qual seja o Santos II, há o Santos 5, em construção, que também foi evacuado. Então nós temos um raio de 40m à direita e à esquerda e a retaguarda do prédio que também foi evacuada", disse.

À medida em que o nível de segurança do edifício Santos II aumentar, Belenda diz que a área de evacuação diminuirá. Desse modo, quando iniciar o reparo das pilastras, após ser feito o escoramento do primeiro pavimento do prédio, as pessoas no raio de isolamento poderão voltar aos poucos às residências.

PRÉDIO NÃO TEM LICENÇA DA PREFEITURA

O edifício Santos II, que apresentou danos estruturais, não tinha autorização da Prefeitura de Vila Velha para ser construído, segundo informações da administração municipal. Mais de 200 pessoas continuam fora de casa até esta terça-feira (26) desde que as colunas de sustentação do edifício começaram a estalar e rachar na madrugada de sábado (23) para domingo (24). Além dos moradores do prédio, outras pessoas que moram no entorno e um comerciante tiveram que deixar o local por medidas de segurança.

A secretária de Desenvolvimento Urbano de Vila Velha, Milena Ferrari, afirmou que não foi encontrada licença da prefeitura para o edifício. "Os outros prédios do entorno ainda não foram verificados, mas no Santos II não encontramos licença nem projeto de aprovação. Houve uma falha na fiscalização e também na questão do próprio empreendedor, que construiu um prédio irregularmente sem atender à legislação e colocou pessoas em risco, deixando um prédio mal feito. A responsabilidade com esses imóveis e vidas é dele", iniciou.

Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha

Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Edifício que corre risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Engenheiros do Crea fazem avaliação em edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Engenheiros do Crea fazem avaliação em edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Defesa Civil fez vistoria em edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Engenheiros do Crea fazem avaliação em edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Defesa Civil fez vistoria em edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Defesa Civil fez vistoria em edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Defesa Civil fez vistoria em edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Engenheiros do Crea fazem avaliação em edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Thiago Costa, 34, vendedor, e a esposa Tatiana estavam em casa com o bebezinho de 6 meses. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Edifício corre risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha. Fernando Madeira
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha
Moradores desocupam edifício que está correndo risco de desmoronamento em Vila Velha

PRÉDIO EM CONSTRUÇÃO

De acordo com a reportagem da TV Gazeta, a construtora Santos está erguendo outro prédio próximo ao que ameaça desabar. A Prefeitura de Vila Velha informou que ainda não conseguiu verificar se a construtora tem ou não autorização para erguer este novo prédio, mas que analisará todos os documentos. Se não estiver autorizada, pode ser que a obra seja embargada ou até demolida. Mas há um problema: a obra ainda nem acabou e já tem pessoas morando no segundo e terceiro andar.

A secretária Milena Ferrari garantiu, em entrevista à TV Gazeta, que as fiscalizações serão intensificadas na nova administração municipal. “Dividimos a cidade em regiões, traçamos rotas para os fiscais, que vão prestar contas de onde estiveram, vai ter um controle muito maior. É um pedido do nosso prefeito e vamos organizar essa parte”, concluiu.

Demandada pela reportagem da TV Gazeta e de A Gazeta, a construtora Santos não se posicionou sobre o assunto até a publicação desta matéria. Assim que houver retorno, este texto será atualizado.

ENTENDA O CASO

Um prédio localizado na Avenida do Canal, no bairro Nova Itaparica, em Vila Velha, apresentou risco de desmoronamento na madrugada de domingo (24). De acordo com testemunhas, que preferem não se identificar, duas vigas de sustentação do imóvel estão trincadas. Moradores e vizinhos precisaram evacuar as residências.

Segundo informações da Prefeitura de Vila Velha (PMVV), o edifício Santos II apresenta riscos e sofreu interdição. Além dele, o prédio de trás, as casas e prédios laterais e de frente também foram interditados. A Guarda Municipal realizou isolamento total da rua, não permitindo que as pessoas entrem no prédio até autorização do engenheiro da Defesa Civil, até para também resguardar de furtos aos bens nas residências interditadas.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.