ASSINE

Pfizer, Astrazeneca e Coronavac: saiba qual vacina será para cada grupo no ES

Estado adota estratégia para agilizar cobertura vacinal e equalizar doses recebidas com as aplicações de reforço (terceira dose) e imunização de crianças e adolescentes

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 23/09/2021 às 08h14
Vacinação
Vacinação em Vitória: meta no Estado é vacinar toda população com mais de 12 anos até o final do ano. Crédito: Carlos Alberto Silva

As doses recebidas pelo Espírito Santo do Ministério da Saúde ou adquiridas diretamente pelo Estado com o Instituto Butantan têm sido disponibilizadas para o público de acordo com o fabricante do imunizante. O governo estadual tem corrido contra o tempo para tentar alcançar uma maior cobertura vacinal até as festas de fim de ano, como o Natal e o Ano Novo, e trabalha com a meta de vacinar com ao menos com a primeira dose toda a população com mais de 12 anos. A medida é para evitar que, com as aglomerações de reuniões familiares, haja um novo pico de casos.

Assim, a depender da oferta de cada fabricante e das restrições impostas pelo plano nacional de imunização contra a Covid-19, cada faixa etária se tornou mais apta a receber uma determinada vacina. Os mais idosos, por exemplo, com mais de 60 anos e que já tomaram duas doses, estão sendo priorizados com as vacinas  da Astrazeneca e Pfizer. Isso porque a maioria recebe a dose de reforço, também chamada de terceira dose, que deve ser aplicada com um imunizante diferente das anteriores.

A maior parte do público idoso recebeu a vacina da Coronavac, a primeira a ser liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Por isso, ele têm recebido agora as doses disponibilizadas de Astrazeneca e Pfizer.

Já entre os adultos de 18 a 59 anos, que estão sendo vacinados neste momento, a prioridade são as vacinas da Coronavac. Isso porque ela tem maior oferta no mercado atualmente, já que o Estado conseguiu comprar doses extras diretamente com a fabricante do imunizante no Brasil, o Instituto Butantan. A estratégia é que, com a aquisição de mais vacinas, as doses de Pfizer e Astrazeneca possam ser direcionadas para outras faixas etárias com mais restrições.

As doses de Pfizer têm também sido destinadas aos adolescentes acima de 12 anos, processo que foi iniciado nesta segunda-feira (20) no Estado. A fabricante é a única que recebeu a autorização da Anvisa para ser aplicada em adolescentes até agora. O Instituto Butantan, responsável por produzir a Coronavac no Brasil, tenta a permissão para o uso da vacina em crianças, como já é feito em outros países. Nesta quarta-feira (22), o governador Renato Casagrande (PSB) se colocou à disposição para apoiar testes no Estado com o uso desse imunizante em crianças de três a 11 anos.

Veja qual vacina é aplicada preferencialmente em cada grupo no Estado

  • Coronavac: preferencialmente aplicada em adultos entre 18 e 59 anos que ainda não tomaram a primeira dose;
  • Astrazeneca: preferencialmente aplicada em idosos acima de 60 anos que foram imunizados com a Coronavac nas duas primeiras doses e agora estão recebendo a dose de reforço (terceira dose);
  • Pfizer: preferencialmente aplicada em adolescentes acima de 12 anos, já que é a única fabricante que conta com autorização da Anvisa para este público.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.