ASSINE

Justiça condena homem a pagar R$ 5 mil a médico por ofensa em rede social no ES

Após ter nome e registro profissional expostos em rede social, o médico ingressou com uma ação para a exclusão das postagens

Linhares
Publicado em 29/07/2021 às 10h06
Saiba como otimizar buscas na internet
Médico ofendido em rede social deve receber indenização de R$ 5 mil no ES. Crédito: Pexels

Um médico ofendido em uma rede social deve receber uma indenização de R$ 5 mil em Aracruz, no Norte do Espírito Santo. Ele havia ingressado com uma ação com o objetivo de exclusão de postagens que afirmavam que os testes para detecção de Covid-19 realizados em uma campanha, que contou com a participação do profissional, eram fraudulentos.

Segundo a sentença, o médico foi contratado pelo município para atuar em um programa que tem, por princípio, o atendimento da população local, fazendo testagens e encaminhamentos dos pacientes, conforme o resultado dos exames.

Atuando no projeto, o médico participou de um evento organizado pelo município para testagem de comerciantes. Dias depois, um homem utilizou o nome e o registro profissional do requerente em uma rede social, para dizer que os exames médicos realizados possuem 99% de resultados falsos e são fraudulentos.

O autor do conteúdo ainda incentivou todos aqueles que tiveram o resultado negativo dos testes rápidos a ajuizarem ação contra os médicos envolvidos e a fazerem denúncia junto ao Conselho Regional de Medicina (CRM).

O QUE DIZ O AUTOR DA POSTAGEM

O autor da postagem afirma que utilizou as redes sociais para ressaltar a sua insatisfação quanto aos resultados dos testes que foram realizados e que os que foram feitos em seus funcionários deram negativo, ao contrário dos testes rápidos efetuados pela prefeitura.

DECISÃO DA JUSTIÇA

Ao analisar o caso homologado pelo juiz do 2º Juizado Especial Cível, Criminal e Fazenda Pública, a juíza leiga verificou, citando o art. 5º, X, da Constituição Federal de 1998, a responsabilidade do requerido nesta demanda, posto que, embora tenha demonstrado o seu descontentamento com a prefeitura, atingiu a honra do autor:

“São invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação”.

Na decisão, o magistrado afirma que entende que o cidadão deve cobrar das autoridades e do governo medidas políticas e sanitárias no país, contudo, no presente caso, as postagens, contendo o nome do autor, colocando em cheque a honestidade e seriedade do seu trabalho, prejudicaram sua imagem. Logo, entendendo que os documentos dos autos evidenciam a existência de dano moral indenizável, condenou o requerido ao pagamento no valor de R$ 5.000 ao autor da ação. As informações são do Tribunal de Justiça do Espírito Santo. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Aracruz Justiça aracruz ES Norte

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.