ASSINE

Estudantes do ES terão reforço em Matemática e Português para superar atraso

Após resultado negativo em avaliação diagnóstica com turmas do ensino fundamental e médio, Secretaria da Educação (Sedu) planeja ações para recuperar aprendizagem na pandemia

Publicado em 13/07/2021 às 18h16
Alunos da Escola Major Alfredo Rabaioli, no bairro Mário Cypreste, com distanciamento entre eles na sala de aula
Alunos da rede estadual em aula: todas as turmas vão receber atividades de reforço em Língua Portuguesa e Matemática. Crédito: Carlos Alberto Silva

Diante dos resultados negativos apurados em avaliação diagnóstica com as turmas do ensino fundamental e do médio, a Secretaria de Estado da Educação (Sedu) decidiu reformular um programa de reforço, antes limitado a um grupo de escolas e vai implementá-lo em todas as 429 unidades da rede. A medida visa conter os prejuízos provocados pela pandemia da Covid-19 e ajudar os alunos no processo de aprendizagem. 

A ação inicial será concentrada nos componentes curriculares de Língua Portuguesa e Matemática, que também são foco das avaliações externas do Estado (Paebes) e do Ministério da Educação  (Saeb) e  serão realizadas no fim deste ano.

Em coletiva nesta terça-feira (13), o secretário estadual da Educação, Vitor de Angelo, pontuou que, com os dados da avaliação feita com alunos do 3º ano do ensino fundamental à 3ª série do médio, o primeiro passo foi analisar o resultado por disciplinas, estudante, turma, série, escola, enfim, todo o detalhamento necessário para poder traçar as estratégias. 

"Assim, poderemos fazer uma intervenção customizada, dando mais atenção a quem mais precisa", ressaltou. Porém, como o cenário mostrou-se  mais desafiador do que a Sedu projetava, Vitor acrescentou que até quem menos necessita de ajuda ainda precisa de muito apoio. 

Para alcançar todos os estudantes, o programa de fortalecimento da aprendizagem que, a princípio, atenderia alunos de cerca de um terço das escolas da rede estadual será levado a todas as unidades no segundo semestre letivo. Serão atividades de reforço que, a critério da escola, poderão acontecer no contraturno ou na própria aula das disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática. 

O programa será desenvolvido por profissionais da rede que terão a carga horária estendida. Se o reforço for oferecido durante as aulas, a turma terá um professor regente e o das atividades complementares para recuperação da aprendizagem. É estimado um investimento de R$ 3 milhões com o aumento da jornada dos educadores. 

Para suporte a essas atividades de reforço, as gerências de Ensino Fundamental e de Ensino Médio da Sedu elaboraram material pedagógico específico. 

Vale lembrar que, ainda devido à pandemia, a rede estadual vivencia um currículo continuado, que juntou 2020 e 2021, e, por essa razão, os alunos avançaram de ano sem uma avaliação final. Isso não significa dizer que houve aprovação automática, mas sim que o ciclo será encerrado em 2021.  Assim, as ações de reforço para a recuperação de aprendizagem também são uma estratégia que visa evitar a reprovação. 

COMPUTADORES PARA ALUNOS E PROFESSORES

Para o segundo semestre, além das aulas de reforço, começarão a ser distribuídos os computadores para os alunos da rede. Serão 60 mil chromebooks — 10 mil deles já chegaram — para as turmas do ensino médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Os estudantes também serão contemplados com pacotes de dados, ou seja, terão acesso à internet para usar nas atividades educacionais. A previsão de investimento é da ordem de R$ 100 milhões. 

Os professores também serão contemplados com computadores, mas, para eles, a Sedu vai destinar os recursos para que façam a aquisição dos equipamentos e do pacote de dados. 

AVALIAÇÃO NAS REDES MUNICIPAIS

Os municípios da Região Metropolitana também submeteram os alunos de suas redes a avaliações diagnósticas e programam ações para o segundo semestre letivo, de modo a reforçar a aprendizagem. 

Em Vitória, a avaliação foi aplicada no primeiro trimestre, para estudantes do 1º ao 9º ano do ensino fundamental. Nos anos iniciais, foram avaliados conhecimentos em Língua Portuguesa e Matemática, enquanto no ciclo final foram abordados todos os componentes curriculares.

Após a tabulação dos resultados, a Secretaria Municipal de Educação observou, segundo a assessoria, que os estudantes estão defasados principalmente em Língua Portuguesa, com os objetivos de leitura e produção de textos, e em Matemática, na resolução de problemas. Diante desse quadro, foi desenvolvido o projeto "Educar para Vitória - Fortalecimento de Aprendizagens" para todos os alunos do ensino fundamental. 

"Com previsão para iniciar em agosto, em 52 Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs), o fortalecimento de atividades prevê trilhas de replanejamento pedagógico para cada faixa etária e acompanhamento de assessorias da Secretaria de Educação de Vitória. A partir disso, serão desenvolvidos planos de ação para assegurar aos estudantes a recuperação das habilidades essenciais definidas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC)", pontuou o órgão, em nota. 

Para os estudantes dos anos iniciais, informou a secretaria na nota, o projeto ocorrerá no turno das aulas, duas vezes por semana, com foco na alfabetização. Já para os anos finais, além das atividades planejadas para um dia da semana para todos os estudantes, naqueles grupos que for detectada uma necessidade maior de atenção e de estratégias de aprendizagem, haverá atividades, duas vezes por semana, no contraturno escolar.

No município de Cariacica, a avaliação foi realizada ainda em 2020 e o resultado apurado motivou o desenvolvimento de projetos para o reforço de aprendizagem, com enfoques distintos para atender as especificidades das dificuldades apresentadas pelos estudantes. O secretário da Educação, José Roberto Martins, contou que uma das ações foi criar salas virtuais para níveis diferentes de conhecimento. Assim, as turmas são direcionadas conforme as habilidades que precisam ser aprimoradas. 

Questionado sobre os alunos que não têm acesso à internet, José Roberto disse que o município disponibilizou um aplicativo para os alunos da rede poderem fazer as atividades pedagógicas. E, para aqueles que estão em condições de mais vulnerabilidade e não têm equipamento, também serão promovidas aulas de reforço presenciais. O enfoque será dado aos conteúdos de Língua Portuguesa e Matemática. 

O secretário falou que essas medidas estão previstas para o segundo semestre letivo, a partir de agosto, quando pretende também promover o retorno dos alunos que as famílias optaram por manter em casa na pandemia. Somente os estudantes que tiverem laudo poderão continuar exclusivamente nas atividades remotas. Assim, na escola, a ideia é fortalecer o processo de aprendizagem. 

A Secretaria Municipal de Educação de Vila Velha acabou de realizar uma avaliação diagnóstica - de 28 de junho a 9 de julho - em parceria com o governo do Estado com turmas do  3º ao 9º ano do ensino fundamental. Todos foram avaliados em Língua Portuguesa e Matemática e, nos anos finais, também em Ciências, Inglês, Geografia e História.

Embora ainda não disponha do resultado, previsto para agosto,a assessoria informou que a secretaria desenvolveu o projeto "Tutoria Pedagógica" para aumentar as possibilidades de aprendizagem e promover ações pedagógicas para reparar possíveis prejuízos causados pela pandemia.

"O projeto envolve todas as Unidades Municipais de Ensino Fundamental (Umefs) e tem início em agosto para os alunos do 1º ao 9º. No contraturno, acontecerão acompanhamentos pedagógicos em Língua Portuguesa e Matemática. As aulas serão feitas com recursos tecnológicos e materiais diversificados que estimulam a interação dos alunos, atividades nos campos de arte e cultura, esporte e lazer, sustentabilidade e tecnologia, e robótica", relacionou, em nota. 

A secretaria destacou, ainda, que as escolas ofertarão 15 horas por semana de atividades complementares, distribuídas nas disciplinas e em atividades diversificadas na plataforma de ensino municipal “Escola tá ON”, Gloogle Classroom e nos demais meios digitais. Para os alunos que não possuem internet, serão disponibilizados materiais educacionais estruturados, para o acompanhamento em dias e horários marcados previamente, seguindo os protocolos de enfrentamento à Covid-19.

Na Serra, a Secretaria de Educação orientou as unidades de ensino, desde o início do formato híbrido (presencial e remoto), a pensarem avaliações diagnósticas com seus alunos, de modo a delimitarem o nível de aprendizagem, conforme observou a assessoria de imprensa.

Além disso, no segundo semestre, o município participará da Avaliação da Fluência em Leitura, promovida em parceria com o governo do estado, por meio do Pacto pela Aprendizagem no Espírito Santo (Paes). Serão avaliadas mais de 5 mil crianças inseridas no 2° ano do ensino fundamental.

Também estão sendo planejadas ações pedagógicas para o contraturno e um projeto-piloto específico para a alfabetização de crianças inseridas nos anos iniciais do ensino fundamental.

A Secretaria de Educação de Guarapari promoveu a avaliação diagnóstica dos alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental em maio, nas disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática, História, Geografia, Ciências e Língua Inglesa. 

"Cerca de 70% dos alunos da rede municipal de ensino de Guarapari alcançaram a média. A disciplina com o menor índice de aproveitamento foi Língua Inglesa. A partir dos problemas detectados por meio dos dados apurados, a Secretaria vem realizando ações que visam minimizar os impactos causados pela pandemia", informou o órgão, em nota. 

Entre as medidas estão a reestruturação do Plano de Intervenção Pedagógica (PIP) nas unidades de ensino e reforço escolar no contraturno, no segundo semestre, para alunos a partir do 3º ano do ensino fundamental, com foco em Língua Portuguesa e Matemática.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Educação Espírito Santo Sedu espírito santo Pandemia Escolas Públicas

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.