ASSINE

ES entrará na Justiça para garantir entrega de kits intubação comprados

Estado comprou medicamentos para tratar pacientes em UTIs em fevereiro, mas fornecedores alegam que não têm produto em estoque para fazer a entrega

Publicado em 31/03/2021 às 11h52
Atualizado em 31/03/2021 às 11h52
Primeiro paciente vindo de Rondônia que chegou neste domingo, às 14h, no Aeroporto de Vitória. O paciente foi transferido para o Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves.
Medicamentos garantem o tratamento de pacientes com a Covid-19 internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) . Crédito: Helio Filho/Secom ES

O governo do Espírito Santo declarou que vai entrar na Justiça para garantir os medicamentos necessários para intubação de pacientes com Covid-19.

O secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, informou que o Estado fez a compra de kits intubação em fevereiro, mas as empresas alegam não ter mais os produtos em estoque para fazer a entrega.

Esses medicamentos, segundo o secretário, garantem o tratamento de pacientes com a Covid-19 internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Ao todo, 850 pacientes estão internados em leitos de UTI no Espírito Santo.

De acordo com o secretário de Saúde, o Espírito Santo fez a compra dos medicamentos em fevereiro, antes que o Estado entrasse em um período crítico de pandemia.

No entanto, o Ministério da Saúde fez uma requisição dos medicamentos e os fornecedores contratados pela secretaria alegam, agora, que não têm mais kits intubação em estoque para entregar ao Estado.

"Os fornecedores, que atendem a rede pública do Estado, estão se negando a entregar os medicamentos alegando que todo o estoque deles foi requisitado pelo Ministério da Saúde. A secretaria tem que se reportar ao ministério para receber os medicamentos", explicou o secretário.

Por isso, o governo vai entrar na Justiça para que o medicamento seja entregue dentro do prazo previsto, independente da solicitação do Ministério da Saúde.

"Estamos entrando com uma ação na Justiça para garantir o fornecimento desses medicamentos que o Estado se programou para receber ", completou o secretário.

Com informações do G1 ES

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.