ASSINE

Entenda como será o segundo semestre no Ifes e na Ufes

O instituto federal já decidiu pelo retorno presencial a partir de agosto, enquanto a universidade vai definir sobre nova fase do Plano de Contingência nesta semana

Publicado em 27/07/2021 às 18h17
Atualizado em 29/07/2021 às 20h29
Fecha do Campus Vitória do Ifes
Campus Vitória do Ifes: cada unidade vai orientar seus alunos sobre o retorno presencial. Crédito: Ifes/Divulgação

Diante da melhoria de indicadores da Covid-19 no Estado, o Conselho Superior do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) decidiu pela retomada gradativa das aulas presenciais nos 22 campi distribuídos por municípios capixabas. O retorno terá uma fase de transição, a partir do próximo mês. Já a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) deverá definir sobre nova fase do Plano de Contingência nesta quinta-feira (29), mas adiantou que se o retorno for aprovado, a expectativa é que seja adotado no semestre letivo 2021/2, com início em 3 de novembro.

A prioridade da volta presencial no Ifes será dos alunos de nível técnico e superior concluintes, para que possam frequentar aulas práticas que não puderam ser adaptadas para a modalidade remota ao longo da pandemia, segundo afirma a diretora de Ensino Técnico da instituição, Sanandreia Torezani Perinni. 

"Agosto e setembro serão meses em que, prioritariamente, será feita a transição com as turmas finalistas. A partir de outubro, se tudo continuar neste formato, as outras turmas vão retornar conforme os campi vão se organizando", pontua. 

Sanandreia observa que a organização foi atribuída aos campi porque cada unidade tem suas especificidades. Alguns têm mais demandas de atividades práticas que outros, por exemplo, e o calendário acadêmico também difere entre os campi - há turmas começando o primeiro semestre letivo de 2021, enquanto outras estão encerrando.

A diretora de ensino ressalta que, independentemente do momento em que os alunos vão retornar para as atividades presenciais, protocolos de biossegurança vão ser adotados para evitar o contágio por Sars-Cov-2 (coronavírus). Uma das medidas previstas é a de escalonamento das turmas, e as orientações serão repassadas por cada campus a seus estudantes. 

O estudante que não se sentir seguro para voltar, ressalta Sanandreia, vai poder continuar no ensino remoto. Contudo, para fazer as aulas práticas que não puderam ser adaptadas, ele terá que esperar até se sentir em condições de retornar para a instituição e cumprir a carga horária da disciplina. 

Sanandreia reconhece que há famílias e alunos que estão ansiosos pela volta presencial, enquanto outros prefeririam manter apenas as atividades remotas. "Entendemos que são diversas situações, mas o retorno está sendo planejado com muita cautela, seguindo todos os protocolos, para sempre preservar a vida de todos", frisa a diretora de ensino. 

UFES

Na Ufes, o Comitê Operativo de Emergência para o Coronavírus (COE) recomendou, no início do mês, que a universidade avance para a fase 3 do Plano de Contingência - criado na pandemia com orientações sobre as práticas na instituição durante a crise sanitária. A mudança de estágio, contudo, depende de decisão do Conselho Universitário. A previsão inicial era que, na reunião desta quinta-feira (29), o assunto fosse discutido, mas não entrou em pauta. 

Em nota, na última terça-feira (27), a Ufes disse que a administração central recebeu a recomendação do COE, indicando a possibilidade de adoção do ensino e de atividades administrativas em formato híbrido (fase 3), observando-se as determinações previstas no plano de biossegurança.  Se aprovado, a expectativa é que seja adotado no semestre letivo 2021/2, cujo início das aulas será em 3 de novembro

Após a reunião desta quinta, a Ufes divulgou que, no momento, a questão está em análise na Comissão de Legislação e Normas (CLN), conforme prevê o regimento interno do Conselho, motivo pelo qual o tema não constou na pauta do plenário no encontro desta tarde. "O encaminhamento ao plenário se dará tão logo seja concluído o trabalho da comissão", pontuou.

Na educação básica, o retorno presencial obrigatório passou a ser exigido nesta semana. 

Atualização

29 de Julho de 2021 às 20:28

Após reunião do Conselho Universitário da Ufes, durante a qual não houve discussão sobre a possibilidade de implantação do ensino híbrido no segundo semestre letivo, o texto foi atualizado. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.