ASSINE

Doses da vacina contra a Covid-19 são recolhidas em Rio Bananal

Frascos são considerados "sob suspeita" desde que relógio de energia foi desligado na unidade de saúde; análise na Fiocruz vai apontar se as doses poderão ser aplicadas

Colatina / Rede Gazeta
Publicado em 24/02/2021 às 21h35
Atualizado em 24/02/2021 às 21h37
Situação aconteceu em unidade de saúde de Rio Bananal
Unidade de Saúde de Rio Bananal onde relógio de energia foi desligado. Crédito: Eduardo Dias | TV Gazeta Norte

As 133 doses da vacina contra a Covid-19  que estavam guardadas em Rio Bananal, Norte do Espírito Santo, foram recolhidas nesta quinta-feira (24) e passarão por análise que vai indicar se elas poderão ser utilizadas ou não. O procedimento é necessário porque os frascos deixaram de ser submetidos à temperatura adequada — entre 2 a 8ºC — quando uma criança de 9 anos desligou o relógio de energia da Unidade de Saúde.

A interrupção de energia ocorreu no dia 16 de fevereiro, em meio ao feriadão de Carnaval. Como o município havia decretado ponto facultativo entre os dias 15 e 17, o problema somente foi descoberto na manhã da quinta-feira (18), quando funcionários chegaram ao local para trabalhar.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), os frascos da Coronavac recolhidos foram enviados ao Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS), uma unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O prazo médio para que seja entregue o resultado da análise é de 30 dias.

Vacinas em Rio Bananal, ES
Doses de vacinas recolhidas em Rio Bananal. Crédito: Prefeitura de Rio Bananal

Desde a descoberta da falta de energia na Unidade de Saúde, a Prefeitura de Rio Bananal foi orientada pela Sesa de que as vacinas deveriam ser classificadas sob suspeita, separadas e mantidas em temperatura adequada (entre +2 a +8ºC) até que fosse preenchido pelo município o formulário de registro de ocorrência em imunobiológicos para encaminhar ao Ministério da Saúde e ao Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

INVESTIGAÇÃO APONTOU QUE CRIANÇA DESLIGOU RELÓGIO

Durante a investigação, a Polícia Civil informou que o inquérito, ao ser concluído, seria remetido ao Ministério Público, com cópia para o Conselho Tutelar do Município.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.