ASSINE

Covid-19: mortes caem 22% na primeira quinzena de setembro no ES

Apesar da quinta queda consecutiva nos óbitos, os casos confirmados da doença no Estado já cresceram 28% na comparação com o mesmo período de agosto

Publicado em 16/09/2021 às 15h49
Uso de máscara e álcool gel: carta de economistas incentiva que governo intensifique o estímulo à adoção de medidas preventivas contra a Covid-19
Apesar da queda de mortes e do avanço da vacinação, álcool em gel e máscara de proteção facial são itens que precisam ser usados. Crédito: Prostooleh/Freepik

As mortes causadas pelo novo coronavírus apresentaram mais uma redução no Espírito Santo. Na primeira quinzena de setembro, foram registrados 143 óbitos. Se comparada com os 185 do mesmo período do mês anterior, o número é de 42 óbitos a menos nos primeiros 15 dias deste mês — uma redução de 22,7%.

Com esta quinta queda consecutiva, o Estado chega ao segundo melhor cenário de toda a pandemia, ficando atrás apenas de abril do ano passado, quando as primeiras mortes por Covid-19 foram divulgadas. Ainda assim, a média diária é de quase dez mortes em decorrência da doença em território capixaba.

Apesar de o dado ser positivo, é importante lembrar que o número de óbitos é o último a aumentar quando há uma nova expansão da pandemia. Primeiro aumentam os casos e, cerca de duas semanas depois, as internações. Passada mais uma semana, as mortes começam a ser impactadas.

Neste contexto é que se evidencia a importância da vacinação contra a Covid-19, que no Espírito Santo já chegou aos adolescentes. Os imunizantes não impedem que alguém seja infectado pelo vírus, mas diminuem os riscos de desenvolver um quadro grave da doença e, consequentemente, morrer.

CASOS VOLTARAM A CRESCER NO ESTADO

Diferentemente do que aconteceu com as mortes, o número de casos confirmados do novo coronavírus voltou a crescer. O índice estava em queda desde abril deste ano — mês do pico da terceira onda da pandemia no Estado. Nesta primeira quinzena de setembro, foram divulgadas 10.856 infecções.

No mesmo período de agosto, 8.452 pessoas haviam testado positivo para a Covid-19. Ou seja, houve um acréscimo superior a 2 mil positivados — o que equivale a um aumento de 28,4%. Ainda assim, no panorama geral, essa primeira metade do mês figura entre as seis melhores desde o início da pandemia.

Como não houve mudança na estratégia de testagem nos últimos meses, o aumento de casos é um reflexo da maior taxa de contágio (RT). No início de setembro, o governador Renato Casagrande alertou que o RT capixaba tinha voltado a ficar acima de 1, representando uma expansão da pandemia.

Naquela ocasião, a taxa de contágio do Estado estava em 1,3. Isso significa que a cada dez pessoas positivadas, outras 13 estavam sendo infectadas, em média. Portanto, o ideal é que a taxa de contágio se mantenha sempre abaixo de 1, o que representaria que o ritmo de contágio está desacelerando.

Na última sexta-feira (10), Casagrande afirmou que o RT segue acima de 1 e que a positividade (quantidade de testes que dão positivo diante do total) também está crescendo. "Nossa preocupação é que ela já está em 20%. Na Região Sul, já chegou a 30%, onde as internações também aumentaram", disse.

Nesse sentido, o governador reforçou o pedido para que a população continue adotando as medidas de distanciamento social, com o uso de máscara, a higienização das mãos e a não aglomeração. "Esse é o pedido que a gente faz, para continuarmos controlando a pandemia e salvando vidas", concluiu.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.