Casagrande diz que vai tomar vacina contra Covid na vez do grupo dele

Profissionais da área da saúde foram vacinados nesta segunda-feira (18), em evento que marcou o início da imunização contra a doença no ES, que é dividida em grupos prioritários

Vitória
Publicado em 18/01/2021 às 22h02
Atualizado em 18/01/2021 às 22h03
Governador Renato Casagrande observa profissional da saúde ser vacinada contra Covid-19 no Hospital Dr. Jayme Santos Neves
Governador Renato Casagrande observa profissional da saúde ser vacinada contra Covid-19 no Hospital Dr. Jayme Santos Neves. Crédito: Carlos Alberto Silva

Enquanto a cerimônia de "estreia" da vacinação contra Covid-19 no Espírito Santo ocorria no Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, na Serra, nesta segunda-feira (18), tudo era filmado e transmitido em tempo real nas redes sociais e em A Gazeta. Havia a curiosidade e o desejo de muitos de testemunhar o momento, ainda que de longe. 

Mas uma dúvida, que também pode soar como provocação, surgiu em alguns comentários: por que o governador Renato Casagrande (PSB) não se vacinou junto com os profissionais da saúde?

Ele mesmo respondeu que vai se vacinar, sim. Mas tem que esperar a vez.

As primeiras 100 mil doses que vieram de São Paulo para o Estado são destinadas ao grupo 1 entre os prioritários do plano de vacinação elaborado pelo Ministério da Saúde, composto por:

  • profissionais da saúde
  • idosos que moram em casas de repouso
  • pessoas com deficiência que vivem em instituições
  • indígenas que vivem em terras indígenas

Casagrande tem 60 anos, completados em dezembro. É engenheiro florestal, bacharel em Direito e governador. Ou seja, não se enquadra em nenhuma das categorias.

No final de maio de 2020, o governador e a primeira-dama, Maria Virgínia Casagrande, testaram positivo para a Covid-19. 

Ele diz, no entanto, que quando a vez dele chegar, vai, sim, tomar a vacina: 

"Tem muita gente perguntando por que eu não vou tomar a vacina. Queria esclarecer que eu não tenho nenhum medo, queria ter tomado já aqui", afirmou em coletiva de imprensa logo após as primeiras doses terem sido administradas nas seis primeiras pessoas do Estado, todas profissionais de saúde que atuam no Jayme.

Renato Casagrande (PSB)

Governador

"Mas eu não faço parte ainda dessa primeira leva de grupos que receberão a vacina. Quando chegar a minha vez, eu sentarei aqui no banquinho para receber também a agulhada, mas por enquanto eu não posso ainda"

Na próxima leva de vacinas também não será a vez de Casagrande. Ela é destinada à população idosa a partir dos 75 anos. O governador também disse nesta segunda que, se sobrarem doses desta primeira leva, eles já podem ser incluídos. 

O próximo grupo prioritário é formado por idosos de 60 a 74 anos. É aí que o governador entra.

Na sequência, ainda de acordo com o plano nacional de vacinação, seguem:

  • População em situação de rua 
  • Pessoas com comorbidades (diabetes, hipertensão arterial grave, doenças pulmonares, renais e cardiovasculares, transplantados, com câncer ou obesidade grau III) 
  • Trabalhadores da educação 
  • Pessoas com deficiência permanente severa
  • Membros das forças de segurança e salvamento
  • Funcionários do sistema de privação de liberdade
  • Trabalhadores do transporte coletivo

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.