ASSINE

Campeão? Capixaba André Martinelli pronto para a final do "No Limite"

André disputa o prêmio de R$ 500 mil ao lado de Elana, Jéssica, Zulu, Paula e Viegas. Público decide vencedor pela internet

Publicado em 20/07/2021 às 14h07
André Martinelli
André Martinelli em ação no reality "No Limite". Crédito: Reprodução/TV Globo

Acabou o mistério! Nesta terça-feira (20), logo após a novela "Império", a Rede Globo exibe a grande decisão do reality show "No Limite" e um capixaba pode sair vencedor: André Martinelli. Além dele, Elana, Jéssica, Zulu, Paula e Viegas se encontrarão, ao vivo, com seus ex-companheiros de tribo e, sob o comando de Andre Marques, poderão relembrar a temporada e assistirem juntos os momentos finais desta edição, gravados na Praia Brava, no Ceará.

Mas, desta vez, o público é quem decidirá os rumos do jogo. O grande campeão será definido através de votação popular pelo site do Gshow. Ao final da noite, dos seis semifinalistas, apenas dois concorrerão ao prêmio de R$500 mil. Já fez as suas apostas?

Sim, as mulheres do "No Limite" mandaram muito bem ao longo de toda a temporada. Mas, por outro lado, é preciso reconhecer que os homens não ficaram para trás. Cada um à sua maneira e com diferentes habilidades nas provas e no acampamento, André, Zulu e Viegas, os três representantes do time masculino na semifinal, tiveram papel essencial em suas tribos ao longo do reality.

Destemido na maioria das provas, André conseguiu ser querido e, em simultâneo, temido por todos. Amoroso, atencioso e muito bom de disputa, o seu desempenho era sempre o mais temido pelos Carcarás. Ainda na Calango, chegou a ser eleito como um "líder" do grupo e, logo depois, a tribo conseguiu sair do jejum de cinco derrotas e conquistou às duas provas da semana.

"Acabaram me elegendo dessa forma porque sempre gostei de ajudar quem está por perto e acabei dando ideias que foram úteis. Não me sentia melhor que ninguém por isso, pelo contrário, sentia ter mais responsabilidades. Mas foi bem leve, conseguimos essas duas vitórias. Acabou sendo uma honra para mim essa oportunidade", diz o rapaz, em entrevista concedida à assessoria de imprensa da Rede Globo. Abaixo, veja trechos do bate-papo.

Por que você topou participar do "No Limite"?

Eu topei porque gosto de desafios. Principalmente os que nos levam ao nosso limite porque são situações em que aprendemos muito sobre nós mesmos, como uma busca pelo autoconhecimento. Além, é claro, de gostar de jogo, de provas. Sou competitivo e vim com o objetivo de vencer o "No Limite".

Você foi decisivo em várias vitórias da Calango. Qual a que mais te marcou? E qual a prova mais difícil?

Uma vitória muito importante para mim foi na prova que eu quebrava os jarros. Logo no começo, já desempenhei uma atividade principal e fui super bem. Isso me deu uma energia importante. Outra vitória que me marcou foi quando vencemos a noite de hotel. Essa ganhamos depois de muitas derrotas e precisávamos muito. A prova mais difícil foi o último duelo de Calangos e Carcarás, valendo as imunidades. Foi dura, as caixas eram muito pesadas. Ali foi um momento em que cheguei na minha falha física.

Em um momento você chegou a ser eleito o "líder" da sua tribo. E logo depois, conseguiram virar o jogo e venceram duas provas. Você se considera um líder?

Acabaram me elegendo dessa forma porque sempre gostei de ajudar quem está por perto e acabei dando ideias que foram úteis. Não me sentia melhor que ninguém por isso, pelo contrário, sentia que tinha mais responsabilidades. Mas foi bem leve, conseguimos essas duas vitórias. Acabou sendo uma honra para mim essa oportunidade.

Na final: André Martinelli em ação no reality
Na final: André Martinelli em ação no reality "No Limite". Crédito: Rede Globo/Divulgação

Você conseguiu escapar da Prova da Comida. Queria ter participado?

Acho que mentalizei tanto para não participar dessa prova que acabou acontecendo (risos). Ainda bem que não precisei disputar. A barata foi bem difícil de ver.

Por que você merece vencer o "No Limite"?

Fui para o "No Limite" para dar o meu sangue e realmente merecer o prêmio. Dei o meu máximo em todas as provas, ajudei meus companheiros, me superei em vários aspectos, honrei meus amigos e fui "de verdade". Fui para o jogo preparado para vencer as provas e realmente merecer sair como campeão do programa.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.