ASSINE

Projeto de arte do ES decora cenário do programa de Fátima Bernardes

O grupo Cidade Quintal trabalha para que a cidade possa ser o quintal da casa de cada morador. O objetivo é ter um local transformado a partir da arte, do design, do urbanismo e da antropologia urbana

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 31/05/2021 às 17h16
Programa Encontro com Fátima Bernardes
Arte feita na Ilha do Príncipe apareceu no Encontro com Fátima Bernardes. Crédito: Reprodução/ TV Globo

Após colorir a cidade de Vitória, a arte produzida pelo Cidade Quintal vai decorar do cenário do programa "Encontro com Fátima Bernardes", na TV Globo, durante toda essa semana. Na edição dessa segunda-feira (31), foi possível ver a arte realizada na Ilha do Príncipe.

 A designer Juliana Lisboa está à frente do projeto que trabalha para que a cidade possa ser o quintal da casa de cada morador. "Ficamos muito honrados com essa oportunidade de visibilizar os trabalhos feitos em Vitória em rede nacional. O que realizamos diz respeito a muita gente e cada mural conta a história de um lugar a partir de pessoas. Além de uma galera que trabalha na concepção, execução, pesquisa, fotografia, entre outros, tem sempre uma rede local envolvida, nesse caso enviamos trabalhos da região da Ilha do Príncipe, da Vila Rubim, do Romão, na Floresta e na Ilha das Caieiras. Vejo que é uma forma de valorizar as histórias de cada território", conta. 

Ela conta que recebeu muitas fotos de TVs, de quem estava assistindo ao programa. "É um reconhecimento importante que resulta de um esforço de anos. Nesses tempos tão difíceis, uma notícia boa dessas dá um gás para levarmos o trabalho adiante", conta Juliana. 

O PROJETO

Juliana é um dos nomes por trás do grupo Cidade Quintal. O objetivo é ter uma cidade transformada a partir da arte, do design, do urbanismo e da antropologia urbana. “A minha forma de contribuir com a cidade é pensando sob a ótica do design como jeito de projetar, pensar espaços melhores e adequados para as pessoas. Me declaro designer na fronteira, utilizando a arquitetura, a arte e a tecnologia. Estou sempre em contato com outras pessoas e trabalhando a partir de um olhar de colaboração”, conta a baiana. Ela chegou por aqui há 20 anos e adotou Vitória como sua Capital.

Projeto Cidade Quintal
Arte realizada na praça do bairro Floresta. Crédito: Renato Pontello

Em 2016, com o artista e grafiteiro Renato Pontello, ela resolveu dar uma nova cara para a cidade. Através de um edital, fizeram uma pintura em grande escala no Centro Esportivo Tancredo Neves (Tancredão). “Esse foi o meu primeiro contato em pensar um espaço público”, lembra.

- Projeto Cidade Quintal pinta casas, escola e comércios na Ilha das Caieiras
A designer Juliana Lisboa está à frente do Cidade Quintal, organização que trabalha para que a cidade possa ser o quintal da casa de cada morador. Crédito: Vitor Jubini

Juliana Lisboa

Designer

"As pessoas passam a cuidar mais desses espaços e se beneficiam de alguma forma economicamente com isso, o que também é importante"

O projeto teve visibilidade, mas Juliana ficou incomodada porque em nenhum momento perguntou a opinião dos frequentadores. Faltava a interação com a comunidade. “Não teve brilho”, diz. Foi a partir daí que começou a ideia de troca com os moradores. A primeira intervenção foi no Romão e no Forte São João, que gerou a obra ‘Nosso Bairro, Meu Quintal’, referente a dois murais que totalizam 260 m².

Projeto Cidade Quintal
Arte do Projeto Cidade Quintal na Vila Rubim. Crédito: Kris Gonçalves

A obra buscou retratar o sentimento de união e cooperação presente nesse território. Com a imersão que durou 2 semanas, identificaram a importância de homenagear as gerações antigas, por terem empregado esforços para conquistar os benefícios presentes atualmente, e as gerações mais recentes, que não participaram dessa construção, mas que encontram novos dilemas a serem superados, marcados pela violência, escassez de recursos e falta de perspectivas.

“Só de ter se aberto para experiência, valeu a pena. Tivemos reuniões com moradores, conhecemos as histórias dos principais becos e percebemos que também era importante incluir os artistas do local, como Ed Brown. Hoje sempre temos meia equipe nossa e a outra metade incorporamos agentes, artistas e fornecedores locais. As pessoas passam a cuidar mais desses espaços e se beneficiam de alguma forma economicamente com isso, o que também é importante”, diz Juliana.

Projeto Cidade Quintal
Arte do Projeto Cidade Quintal em Vitória. Crédito: Leticia Tambuci

Eles já fizeram projetos na comunidade Floresta, na região do Mercado da Vila Rubim, no Bairro República e na Ilha das Caieiras, além da Ilha do Príncipe. Agora, investem a criatividade em outros três projetos. "Uma pintura na Piedade, que passa por 28 casas e dois espaços de convivência; uma pintura em Paul, Vila Velha; e o educativo da pintura na Ilha do Príncipe, que é uma plataforma voltada para visitantes e educadores, visando levar os conteúdos sobre a história do bairro para a comunidade escolar de Vitória e explorar a tecnologia em Realidade Aumentada presente no mural", conta a designer.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Cultura Fique bem fátima bernardes Televisão Arte

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.