ASSINE

Izar transita entre o pop e a MPB em disco de estreia

Mineiro radicado no Espírito Santo, músico se inspira no cotidiano em seu primeiro disco

Publicado em 26/10/2018 às 20h01

especial

O indivíduo em todas as suas vitórias, derrotas, hipocrisias, contradições. É em torno de temas como esses que pairam as composições de “O Amor, a Escuridão e a Esperança”, primeiro disco solo do músico e compositor Izar. O álbum, já disponível em plataformas digitais, terá lançamento em formato físico com três shows em Vitória nos dias 3 e 6 de novembro.

O disco começa com “Pé Na Estrada”, sobre um jovem que deseja se mudar e romper com a pressão social para ter sucesso. O trabalho segue com o cotidiano que torna o outro invisível, mas em que ainda existe um sentimento de esperança na transformação (“Hoje”). O amor é presente em “Você É o Sol” e “Não Vou Deixar”.

Um dos singles, “Poesia”, versa sobre o “encontro do ser humano com a liberdade”, como conta Izar. O clipe, disponível no canal do artista no YouTube, conta com uma colagem de pessoas cantando trechos da letra em vários lugares do mundo. Ideia que, segundo o músico, nasceu por acaso.

Músico Izar. Crédito: Ademir Ribeiro
Músico Izar. Crédito: Ademir Ribeiro

“Durante o processo de produção, mandei a música para uma amiga de muitos anos. Ela gostou muito e mandou um vídeo filmando e cantando. Eu achei muito bonito e acabou que todo o clipe foi montado dessa forma. Com pessoas em lugares em que elas se sentiam à vontade e tivessem um encontro com a poesia”, afirma.

As influências contidas no álbum são as mais variadas, passando por Beatles e chegando ao pop e à MPB. A música de Minas Gerais também serve de inspiração, afinal Izar é mineiro de Belo Horizonte e vive no Espírito Santo há cerca de seis anos. “Lá, a gente já nasce com isso, canta música mineira nas escolas e, na hora de compor, sai de forma natural. E dentro da música mineira, tem Lô Borges, que tem influência de Beatles. Tenho também influência do pop, da MPB, o texto da música brasileira”, avalia.

SEM PRESSA

Toda a produção do disco levou dois anos e contou com a participação do capixaba Thiago Arruda, produtor de Ed Motta. O tempo tem a ver com o cuidado para a entrega do produto final, com a sonoridade desejada bem combinada com as letras. “Quando a gente é mais novo, quer chegar e fazer. É muito importante essa fase, mas esse foi um trabalho com o máximo de qualidade na produção e na gravação”, declara.

Izar vai dividir o palco com outros artistas nos shows de lançamento. O primeiro, em 31 de outubro, terá a participação da banda paulista Dom Pescoço. O segundo, em 3 de novembro, será com o músico Bernardo John. E o último, em 6 de novembro, contará com as bandas Java Roots e Forrofiá.

“Eu acho muito bacana esse intercâmbio com outras bandas, para dar força ao cenário autoral. Que a composição tenha cada vez mais força e atraia mais gente para esse universo. E obviamente o público ganha, por ter bandas com composições fortes”, acredita o músico.

SERVIÇO

O Amor, a Escuridão e a Esperança - Izar

Independente, 10 faixas.

Disponível nas principais plataformas de streaming.

Shows de lançamento

3 de novembro

Garagem Vitória, às 21h. Rua Emanuel Gonçalves Carneiro, 85, Praia do Canto, Vitória. Com Bernardo John (ES). Entrada: R$ 20.

6 de novembro

Som de Fogueira, às 19h. Rua da Lama, Jardim da Penha, Vitória. Com Java Roots e Forrofiá (ES). Entrada gratuita.

A Gazeta integra o

Saiba mais
música

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.