ASSINE

Governo do ES anuncia recursos para a reforma do Teatro Carlos Gomes

Por meio do Plano de Investimentos Públicos (PIP), divulgado na segunda-feira (27), Estado vai investir R$ 106 milhões na cultura capixaba. Confira as ações previstas

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 01/07/2021 às 16h45
Grupo faz manifestação para pedir reabertura do Teatro Carlos Gomes, no Centro de Vitória, interditado há anos
O projeto, que propõe a restauração e modernização do Teatro Carlos Gomes, foi aprovado pelo Conselho Estadual de Cultura em maio. Crédito: Pedro Permuy

Com as portas fechadas desde dezembro de 2017, o Teatro Carlos Gomes (principal espaço da cultura capixaba) finalmente começa a ver seu tão desejado restauro e modernização sair do papel.

Em evento realizado na última segunda-feira, 28 de junho, o governador Renato Casagrande (PSB), por meio do Plano de Investimento Público do Estado do Espírito Santo (PIP), anunciou R$ 106 milhões para o setor cultural. A verba será usada, entre outras ações, para a reforma do teatro localizado no Centro de Vitória, que possuiu 93 anos de história.

Segundo a Secretaria de Estado de Cultura (Secult), a elaboração da ação de restauro e modernização do aparelho cultural foi  firmada em junho de 2020, com a assinatura da ordem de serviço entre o Governo do Estado, por meio do DER-ES, e a empresa Arquistudio Arquitetura e Urbanismo, responsável pela criação do projeto. Conforme publicado em A Gazeta, o projeto, anunciado em maio deste ano com valor de R$ 337 mil, foi aprovado pelo Conselho Estadual de Cultura.

Ainda de acordo com a Secult/ES, o próximo passo será o lançamento - previsto para este semestre - de uma licitação para contratar a empresa responsável pelas obras. Após esse processo, a reforma deve ser iniciada. O valor total da obra ainda não foi informado pelo órgão e nem sua previsão de término. 

MUDANÇAS

O projeto de reforma do Teatro Carlos Gomes (TCG) prevê instalação de elevador, restauro de pinturas e recuperação de móveis do mobiliário original, como, também, a criação de uma área de exposição e cafeteria no terceiro andar do prédio. Além disso, estão previstos reparos na iluminação e na parte cenotécnica, como reforma da fachada e ajustes nas instalações acústicas e hidráulicas.

Novo Teatro Carlos Gomes, em Vitória, terá cafeteria no 3° andar
Novo Teatro Carlos Gomes, em Vitória, terá cafeteria no 3° andar. Crédito: Reprodução/YouTube Secult Espírito Santo

O ar-condicionado, alvo de críticas no último evento realizado no local, o Festival de Cinema de Vitória, em 2018, será totalmente reformado. Além disso, existe a proposta de tornar o prédio mais acessível para portadores de necessidades especiais. 

A última grande reforma que o aparelho cultural recebeu foi em 2010, com obras que custaram R$ 630 mil. 

INVESTIMENTOS

Além da restauração do Carlos Gomes, a Secult/ES, de acordo com dados fornecidos à reportagem, prevê outros investimentos com os R$ 106 milhões disponibilizados pelo PIP.

Entre eles, destaca-se a reforma do antigo prédio do Arquivo Público para abrigar a Galeria Homero Massena, anunciada em 2019; a implementação da Midiateca Capixaba, que será lançada ainda em 2021; a aquisição de instrumentos musicais para a Orquestra Sinfônica do Espírito Santo e a criação de um Programa de Integração dos Espaços Culturais Capixabas.

Secretaria Estadual de Cultura já está digitalizando o acervo da futura Midiateca Capixaba
Secretaria Estadual de Cultura já está digitalizando o acervo da futura Midiateca Capixaba. Crédito: Secult-ES/Divulgação

"Menina dos olhos" da atual gestão da Secult/ES, a Midiateca Capixaba pretende reunir, em uma plataforma on-line, um farto acervo de documentos, fotografias, vídeos, matérias de jornal, músicas, artes gráficas, livros, obras de arte e filmes produzidos no Estado. O site, cujo projeto-piloto está previsto para ir ao ar em dezembro, atualmente passa pela fase de digitalização do material.

A iniciativa contará com uma comissão de acervos, composta por representantes do Sistema de Rádio e Televisão Espírito Santo (RTV), Arquivo Público do Estado do Espírito Santo (APEES), Biblioteca Pública do Espírito Santo (BPES), Museu de Arte do Espírito Santo Dionísio Del Santo (MAES), Galeria Homero Massena (GHM) e o Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Espírito Santo (Prodest), que devem estruturar a plataforma, realizando a curadoria de suas coleções, que serão as primeiras a serem disponibilizadas aos internautas.

Secretário Estadual de Cultura, Fabricio Noronha comemorou a liberação do recurso. "Com esse investimento, vamos conseguir executar muitas políticas públicas importantes a curto, médio e longo prazo. Inclusive, vamos conseguir atender a demandas antigas da área cultural, como o suporte e a integração dos espaços culturais, dando mais acesso à cultura para cada vez mais pessoas. Esses investimentos vão além do que já fazemos, como editais e o nosso custeio de pessoal. Estamos muito animados, porque isso demonstra o quanto as políticas culturais são importantes e prioritárias no Espírito Santo”, enfatizou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.