ASSINE

BC suspende consulta aos R$ 8 bilhões esquecidos em bancos

Segundo a instituição, a demanda foi acima da esperada e provocou instabilidades também nos sites do Registrato e do Minha Vida Financeira

Tempo de leitura: 2min
Publicado em 25/01/2022 às 15h55

Banco Central informou na tarde desta terça-feira (25) que suspendeu temporariamente o sistema para consultar dinheiro esquecido em bancos. Segundo a instituição, a demanda foi acima da esperada e provocou instabilidades também nos sites do Registrato e do Minha Vida Financeira.

"Estamos trabalhando para que o funcionamento dos sites seja normalizado o mais breve possível e também para o retorno do SVR. Manteremos o público informado quanto a esses desenvolvimentos e pedimos desculpas pelo transtorno", afirmou o BC em nota.

O site estava instável desde a noite de segunda-feira (24), quando a instituição divulgou a consulta a R$ 8 bilhões que brasileiros têm esquecidos em bancos.

Este vídeo pode te interessar

O Sistema Valores a Receber, como foi batizado, permitirá a devolução de cerca de R$ 8 bilhões para cidadãos e empresas que, em grande parte, não fazem ideia que têm o dinheiro.

São valores de contas-correntes ou poupanças encerradas ainda com saldo disponível, tarifas ou parcelas cobradas indevidamente por bancos, cotas ou sobras de pessoas que participaram de cooperativas de créditos e recursos de grupos de consórcios que não foram procurados pelos donos. O dinheiro é devolvido em 12 dias úteis.

Na primeira fase do serviço, o BC estima a devolução de R$ 3,9 bilhões. Ainda em 2022, segundo a instituição, também serão disponibilizados valores referentes a tarifas e parcelas de operações de crédito cobradas indevidamente, além de contas pré-pagas, pós-pagas e de corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários, todas encerradas com saldo disponível.

O sistema foi lançado no final de 2021. O órgão ressalta que em algumas situações os valores podem ser pequenos, mas o novo recurso permitirá sua devolução de maneira ágil. O serviço mostra valores em contas a partir de 2001.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Banco Central Agências Núcleo dinheiro Mercado Financeiro

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.