ASSINE

BC prevê lançamento do Pix Saque e do Pix Troco em agosto de 2021

Por meio dos novos serviços, será possível aos usuários do Pix sacar recursos em estabelecimentos comerciais ou prestadores de serviços

Publicado em 10/05/2021 às 15h39
Pix do Banco Central vai permitir saques em lojas
Pix do Banco Central vai permitir saques em lojas. Crédito: Marcello Casal/Agência Brasil

O chefe adjunto do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do Banco Central, Carlos Eduardo Brandt, afirmou nesta segunda-feira (10), que as duas novas funcionalidades do Pix - o sistema brasileiro de pagamentos instantâneos - devem ser lançadas em agosto deste ano: o Pix Saque e o Pix Troco. O BC colocou nesta segunda em consulta pública as regras para os dois serviços.

Por meio dos novos serviços, será possível aos usuários do Pix sacar recursos em estabelecimentos comerciais ou prestadores de serviços, o que amplia as opções às agências bancárias e aos caixas eletrônicos.

De acordo com o BC, por meio do Saque Pix o usuário poderá retirar recursos de sua conta sem que haja qualquer transação comercial com o estabelecimento.

Na prática, funcionará como um saque simples, semelhante ao realizado em caixas eletrônicos. Já o Pix Troco estará associado a uma compra de um produto ou serviço. Ao pagar por meio do Pix, o usuário poderá fazer a previsão de um "troco" em espécie e retirar o dinheiro.

A consulta pública prevê limite máximo para saque de R$ 500 por dia. Cada usuário terá quatro saques gratuitos por mês. A partir da quinta transação, as instituições financeiras ou de pagamentos que possuem a conta do usuário poderão cobrar uma tarifa por transação.

Até o dia 9 de junho, a autarquia estará recebendo pela internet sugestões na consulta pública, inclusive em relação aos limites propostos.

Brandt afirmou ainda que o cronograma do Pix prevê o lançamento de mais serviços em 2021 e 2022.

"Daqui a alguns dias entra o Pix Cobrança com Vencimento. Até o fim do ano, tem o iniciador de pagamento no Pix, que vem no projeto de Open Banking", citou Brandt, em referência ao sistema de compartilhamento de dados de clientes entre instituições financeiras. "Pix por Aproximação chega até o fim do ano também."

Outro objetivo do BC é permitir a utilização do Pix em situações em que uma das duas partes (pagador ou recebedor), ou mesmo as duas partes, esteja sem conexão com a internet. "Hoje, para fazer o Pix, as duas partes precisam estar online. Teremos o QR Code offline, em que uma das pontas está offline. E mesmo o duplo offline. O Pix também terá esta possibilidade de pagamento enquanto ambos estão fora da internet. (Isso será lançado) até o fim do ano ou início do próximo ano", disse.

Já o Pix Garantido e o débito automático no Pix será entregues no segundo semestre de 2022, conforme Brandt.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.