ASSINE
Esquente os tamborins e fique por dentro dos bastidores do Carnaval de Vitória com Jace Theodoro

Conheça o pique de Romeletti, estilista de carnaval que joga nas 11

Profissional da folia há 16 anos, Rômulo Cosmoski, nome de batismo de Romeletti, não só confecciona as roupas como tem um ateliê ao lado do Sambão do Povo para atender clientes e acomopanhá-los da concentração à dispersão

Publicado em 12/02/2020 às 08h00
Atualizado em 12/02/2020 às 08h00
Rômulo Cosmoski ao lado do casal de mestre-sala e porta-bandeira Marcos Paulo e Júlia. Crédito: Acervo pessoal
Rômulo Cosmoski ao lado do casal de mestre-sala e porta-bandeira Marcos Paulo e Júlia. Crédito: Acervo pessoal

Quem vê casais de mestre-sala e porta-bandeira e destaques de luxo evoluindo com brilho e disposição na avenida não imagina todas as dificuldades que antecedem o espetáculo e o trabalho feito depois do desfile. Profissional do carnaval há 16 anos, Rômulo Cosmoski é figura ímpar entre seus pares. Neste carnaval, Romeletti, como é carinhosamente conhecido no meio, é o estilista de nove casais de mestre-sala e porta-bandeira (sua especialidade), uma comissão de frente e um destaque de luxo, seu companheiro Alonso Gonzaga. Uma trabalheira que nem sempre é reconhecida, mas que merece atenção pelo empenho de profissionais como ele.

ESTRUTURA OFERECE CONFORTO E SEGURANÇA

Cosmoski não só confecciona as roupas como monta toda uma estrutura ao lado do Sambão do Povo para receber seus clientes. Lá, ele aluga uma casa onde os casais, membros da comissão e destaques podem fazer sua maquiagem, lanchar e relaxar. Uma tevê está disponível para os que querem acompanhar a transmissão dos desfiles enquanto aguardam a hora de brilhar. Sua equipe, Paulinho e Marilza, o acompanha nesse trabalho, assim como o companheiro Alonso que, ao terminar de desfilar, volta para ajudá-los.

O destaque Alonso Gonzaga, companheiro de Romeletti. Crédito: Acervo pessoal
O destaque Alonso Gonzaga, companheiro de Romeletti. Crédito: Acervo pessoal

ATENÇÃO DA CONCENTRAÇÃO À DISPERSÃO

Mas não para por aí. Romeletti acompanha os desfilantes até a concentração. Para evitar problemas, veste a roupa nos clientes e, quando está tudo pronto, vai até a dispersão aguardar a chegada para desmontar tudo e levar para a casa alugada, onde fica um segurança. As pessoas voltam para troca de roupa na casa, tomar uma ducha, retirar a maquiagem, por as pernas pro ar e, se quiserem, voltam pra se divertir no Sambão, agora lépidos, fagueiros e descansados.

Este vídeo pode te interessar

O DIFERENCIAL INFLUENCIA NA ESCOLHA

Com a autoridade de quem tem 44 anos de carnaval, Kélsia Sátiro não titubeia em escolher Romeletti e sua equipe para cuidarem de Taís e Marcos Paulo, porta-bandeira e mestre-sala da Chegou o que Faltava. “Já fiz tudo no carnaval, de passista a primeira-dama de escola, e posso garantir que realmente o trabalho do ateliê tem esse diferencial. Cuida do casal desde a confecção do figurino até a reta final do desfile. Com eles, todos nos sentimos seguros pra desfilar”.

O estilista entre o casal de mestre-sala e porta-bandeira Taís e Max . Crédito: Acervo pessoal
O estilista entre o casal de mestre-sala e porta-bandeira Taís e Max . Crédito: Acervo pessoal

MUSA DA PIEDADE DESFILA DESPREOCUPADA

Yasmim, porta-bandeira mirim da Piedade, 10 anos, também é atendida por Romeletti. Sua mãe, Elizângela Reis, estilista e musa da Mais Querida, conta que, ao escolher o ateliê de Cosmoski, levou em conta, além do excelente trabalho com os figurinos, a facilidade da estrutura oferecida por eles. 

Yasmim e Luan, porta-bandeira e mestre-sala mirins da Piedade. Crédito: Acervo pessoal
Yasmim e Luan, porta-bandeira e mestre-sala mirins da Piedade. Crédito: Acervo pessoal

“Como vou desfilar, pensei nessa logística para dar conforto ao casal mirim (Luan é o mestre-sala) enquanto estou me preparando também. Eles têm um cronograma de confecção e entrega das roupas extremamente profissional. Como mãe, a primeira coisa era a preocupação de como estaria o casal. Com essa equipe, estou totalmente despreocupada”, elogia.

E já é tradição. Terminada a folia e de energias refeitas, Rômulo e Alonso preparam um almoço de confraternização com a turma do carnaval e a animação toma conta da Fonte Grande, onde moram.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.