ASSINE
Árbitro capixaba com maior número de atuações nacionais e internacionais, especializado em gestão esportiva,e que atuou em dez finais do Campeonato Capixaba, além de partidas das séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro.

Ex-árbitro "Cabelada" é um palhaço que tira onda de malandro

Ex-juiz do Rio de Janeiro dos anos 80, que reapareceu contando histórias folclóricas, dizendo ter havido um "sistema" e se vangloriando de ter participado dele está repercutindo pelo país

Publicado em 01/04/2021 às 02h00
Atualizado em 01/04/2021 às 02h04
Cabelada
Ex-árbitro polêmico, Cabelada diz existir um "sistema" na arbitragem. Crédito: Reprodução/TV Globo

A semana está agitada nos bastidores da arbitragem brasileira e mundial. Uma entrevista de um personagem de codinome "Cabelada", ex-árbitro do Rio de Janeiro dos anos 80, que reapareceu contando histórias folclóricas, dizendo ter havido um "sistema" e se vangloriando de ter participado dele está repercutindo pelo país.

O palhaço tirado a malandro, que se vangloria do que deveria sentir vergonha, fez insinuações sobre árbitros daquele tempo, embora alguns nem vivam mais para se defender. Não se pode levar a sério esse tipo de fanfarrão que mede os outros com sua própria régua e desrespeita a arbitragem e os árbitros brasileiros sérios que construíram com dignidade a nossa história e deixaram um legado de ótimos exemplos para os mais jovens.

Enquanto isso, lá na Sérvia, o árbitro Srdjan Obradovic foi condenado a 15 meses de prisão por abuso de poder. Além da prisão, Srdjan também foi proibido de exercer qualquer cargo na Federação Nacional de Futebol por dez anos. Segundo informações, a sentença foi proferida pela Câmara Anticorrupção do Tribunal Superior de Novi Sad e Srdjan ainda pode entrar com recurso.

A condenação é decorrente de um jogo ocorrido em 2018, em que o juiz marcou um pênalti inexistente no duelo entre Spartak Subotica e Radnicki Nis. O resultado do jogo foi 2 a 0 para o Spartak após dois pênaltis, sendo um qualificado como “escandaloso”.

SUSTO EM CAMPO

Do outro lado do mundo, em uma partida entre Costa do Marfim e Etiópia, válida pela eliminatória da Copa Africana das Nações, o árbitro Ganês Charles Bulu, que estava substituindo o árbitro principal, afastado por Covid-19, teve um mal súbito e desmaiou em campo aos 80 minutos de jogo.

Bulu foi socorrido pelos jogadores e removido às pressas em uma ambulância para o hospital. O jogo, que seguia com o placar de 3 a 1 em favor da seleção da Costa do Marfim, foi encerrado naquele momento. Nossa torcida e orações para sua plena recuperação.

FORMAÇÃO DE NOVOS ÁRBITROS

Aqui no Estado, uma iniciativa muito bacana de abrir uma escolinha de árbitros de futebol, de iniciativa do árbitro capixaba Everaldo Passos, vai ganhar apoio da entidade nacional dos árbitros de futebol ANAF. A entidade está conhecendo melhor as necessidades do projeto e vai investir em uniformes e melhores condições de trabalho para ajudar a aumentar a participação de meninos e meninas nessa ótima iniciativa.

CURIOSIDADE DO DIA

  • Finais de Copa: Dois brasileiros já apitaram final de Copa do Mundo. Arnaldo César Coelho em 1982, na Espanha, e Romualdo Arpi Filho em 1986, no México. A decisão da primeira Copa do Mundo em 1930 no Uruguai foi comandada por um Belga: Jean Langenus.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.