ASSINE
Crítico de cinema e colunista de cultura de A Gazeta

"Matrix 4" e "Duna" direto no streaming. Seria o fim do cinema?

Anúncio da Warner mostra decisão ousada do estúdio: todos seus filmes lançados em 2021 chegarão simultaneamente aos cinemas e à plataforma HBO Max

Vitória
Publicado em 03/12/2020 às 17h28
Trinity (Carrie-Anne Moss) e Neo (Keanu Reeves) em 'Matrix' (1999)
Trinity (Carrie-Anne Moss) e Neo (Keanu Reeves) em 'Matrix' (1999). Crédito: Divulgação/IMDB

Pode não parecer algo grande, mas o anúncio da Warner de que irá lançar todos seus filmes de 2021 nos cinemas e, simultaneamente, na plataforma HBO Max (por um mês) é gigante para a indústria. Primeiro porque o estúdio inova ao mesmo tempo em que praticamente se entrega à pirataria - um filme lançado no streaming cai na rede, com qualidade excepcional, minutos depois de seu lançamento. Depois, porque o estúdio compra uma briga com o mercado exibidor, quebrando o histórico modelo de negócio da janela de exibição. A janela só começará a valer após o tempo de disponibilidade do filme no streaming, um mês.

Assim, filmes como “Matrix 4” (22 de dezembro), “Duna” (1º de outubro), “Space Jam 2” (16 de julho) e o novo “Esquadrão Suicida” (6 de agosto) terão lançamento simultâneo nas salas e na plataforma. Resta saber, no entanto, como o mercado vai reagir ao anúncio. Será que os exibidores boicotarão a Warner? É uma possibilidade.

A experiência, vale ressaltar, tem início este ano, com o lançamento de “Mulher-Maravilha 1984”, a ser lançado no Natal (25 de dezembro), e pode ser entendida como um fracasso de outro experimento: “Tenet”. O filme de Christopher Nolan foi o grande lançamento da Warner em 2020 e até fez números razoáveis em um momento sanitário complicado (US$ 357,8 milhões). Vale lembrar, ainda, que os números de infectados e mortos pela Covid-19 voltaram a subir, o que não é bom para a indústria e volta afastar o público ainda temerário de ir aos cinemas.

“Vivemos tempos sem precedentes e que requerem soluções criativas”, afirmou Ann Sarnoff, CEO da WarnerMedia Studios. “Ninguém quer mais que a gente que os filmes voltem aos cinemas. Nós sabemos que lançamentos são o sangue da indústria, mas temos que equilibrar a realidade e nossos desejos”, completou.

Filme
Filme "Tenet". Crédito: Warner/Divulgação

Os filmes confirmados a serem lançados na HBO Max e nos cinemas dos EUA são: “The Little Things”, “Judas and the Black Messiah”, “Tom & Jerry: o Filme”, “Mortal Kombat”, “Those Who Wish Me Dead”, “Invocação do Mal 3”, “Em um Bairro de Nova York”, “Space Jam: Um Novo Legado”, “Reminiscence”, “Malignant”, “The Many Saints of Newark” ( (prelúdio da série “Sopranos”), “King Richard” e “Cry Macho”.

Outro movimento a ser aguardado é ver como os outros estúdios reagiram à novidade. Claro, eles podem perfeitamente ficar sentados enquanto a Warner se arrisca, mas, caso o modelo funcione e o número de assinaturas do HBO Max decole, todo mundo terá que correr atrás do prejuízo, o que nem sempre é fácil. Decisões…

Vale dizer que, apesar de o anúncio ser oficial, tudo pode mudar. A Warner pode muito bem jogar “Matrix 4” para 2022, por exemplo, mas mesmo assim, o anúncio é gigante. Acompanharemos de perto os próximos capítulos.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Cinema Rafael Braz

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.