ASSINE
O cotidiano das nossas cidades, a cultura, a política, a economia e o comportamento da sociedade estão no foco da coluna, que também acompanha de perto as políticas públicas e suas consequências para os cidadãos

Homicídios no ES crescem quase 20% no primeiro semestre

Foram registrados 594 assassinatos ante 498 no mesmo período do ano passado

Publicado em 01/07/2020 às 07h28
Atualizado em 01/07/2020 às 11h02
Novembro teve 98 homicídios no Espírito Santo
Os índices de homicídio cresceram em todas as regiões do Estado de janeiro a junho deste ano. Crédito: Divulgação

Mesmo com o isolamento social decorrente da pandemia do coronavírus em vigor há mais de 100 dias, o Espírito Santo terminou o primeiro semestre deste ano com 594 homicídios dolosos, um aumento de 19,47% em relação aos primeiros seis meses de 2019, que registrou 498. Foi um aumento tão significativo que a diferença no número de homicídios de um ano para outro - 96 - é superior aos casos que aconteceram em janeiro e em abril, com 94 vítimas em cada um desses dois meses.

O resultado dos seis primeiros meses de 2020 se aproxima dos índices de 2018 e de 2016, com 610 e 608 ocorrências, respectivamente.

JUNHO COM ÍNDICE ACIMA DO ÍNDICE HISTÓRICO

Junho registrou 79 homicídios dolosos, distante do que tinha sido o melhor índice da série histórica, que foi no ano passado, quando ocorreram 57 casos. Em 2018, nos mesmos 30 dias do mês que passou, aconteceram 99 assassinatos.

Avaliando o histórico dos seis meses de 2020 e 2019, percebe-se que somente em dois períodos houve menos homicídios do que no ano passado: em janeiro (94 contra 103) e em maio (77 contra 80).

Fevereiro contabilizou 110 casos ante 94 de 2019 e março despontou com 140 ocorrências violentas contra 86 do ano passado – foi, por sinal, o mês mais violento depois de fevereiro de 2017, marcado pela greve da PM. Abril, por sua vez, teve 94 assassinatos (aconteceram 78 em 2019).

QUAL A TENDÊNCIA AGORA?

O secretário estadual da Segurança Pública, coronel PM Alexandre Ramalho, assumiu a chefia da pasta no dia 6 de abril, mas, para efeito de avaliação do que pode acontecer, a coluna analisou os meses de maio e junho. Somando os períodos (77 + 79 = 156), tem-se uma média de 78 casos/mês. Hipoteticamente falando, se essa tendência se mantiver até o final do ano, o Estado terminaria 2020 com 1.062 assassinatos, ultrapassando o índice do ao passado: 979.

O desafio, agora, é conseguir superar os indicadores de julho do ano passado, quando aconteceram 62 assassinatos, número abaixo dos padrões atuais de violência do Estado.

GRANDE VITÓRIA CONCENTRA 59,42% DOS ASSASSINATOS

Grande Vitória teve 59,42% de todos os assassinatos no Estado. Foram 353 dos 594 ao longo do primeiro semestre. Junho terminou com número acima do mesmo período do ano passado: 39 a 30, ou seja, com mais de uma morte/dia. Além disso, a região metropolitana teve alta de 23,4% em relação ao ano passado, quando, no mesmo período, havia registro de 286 crimes.

Na análise do semestre, quem acumula os maiores índices de violência é o município da Serra. A cidade, que nos últimos anos foi o exemplo de queda nos indicadores, já tem 101 assassinatos, enquanto em 2019 esse número era de 75, havendo um aumento 34,66%. Em junho, pelo menos, registrou seis homicídios.

Mas esse panorama não fica restrito à Serra. Vila Velhaque foi cenário de um duplo homicídio ontem (30) à noite e de mais um assassinato, já tem 91 casos ante 68 do ano passado (acréscimo de 33,82%). Cariacica apresenta 97 mortes em 2020, sendo que em 2019 foram 80 (aumento de 21,25%). A exceção dos quatro grandes municípios é Vitória: 33 assassinatos em 2020 contra 36 em 2019.

SINAIS VERMELHOS E UM VERDE

Embora a Grande Vitória concentre a maioria dos assassinatos, as demais regiões também têm problemas a serem solucionados. A Região Sul, por exemplo, teve 52 assassinatos, enquanto no ano passado foram registrados 32. Na Noroeste, 59, de 2020, contra 51, de 2019. E, na Serrana, o placar é de 24, neste ano, contra 20 do período anterior. 

Até ontem (30), conforme boletins oficiais obtidos pela coluna, a Região Norte tinha um empate de 107 casos em 2019 e em 2020. Contudo, na nova versão da Sesp, divulgada hoje (1º), houve modificação dos dados. Agora, há retração dos crimes. Assim, o primeiro semestre deste ano finalizou com 106 crimes enquanto o período de janeiro a junho do ano passado contabilizou 109. Queda de 2,8%

ATENÇÃO PARA LINHARES E CACHOEIRO

Das grandes cidades do interior, Linhares e Cachoeiro de Itapemirim merecem atenção redobrada devido à escalada do crime. O município do Norte já soma 41 casos, sendo que 10 foram somente em junho. No ano passado, ocorreram 35 assassinatos. Já em Cachoeiro de Itapemirim são 18 crimes contra 10 do ano passado.

DIA E HORA DAS MORTES

O domingo concentra 120 assassinatos, enquanto o horário das 19h tem 41.

AS  20 CIDADES SEM ASSASSINATOS

Anote as 20 cidades sem homicídios no Espírito Santo até o momento: Água Doce do Norte, Alfredo Chaves, Governador Lindenberg, Ibitirama, Irupi, Itaguaçu, Jerônimo Monteiro, João Neiva, Marilândia, Mucurici, Muqui, Ponto Belo, Presidente Kennedy, Rio Bananal, Santa Leopoldina, São Domingos do Norte, São Gabriel da Palha, São José do Calçado, São Roque do Canaã e Venda Nova do Imigrante.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.